questões relevantes

espaço para debate de ideias sobre a cultura e a civilização

IGOR FUSER, O MALABARISMO DAS PALAVRAS E A MISÉRIA INTELECTUAL.

Igor Fuser

O que dizer de um cientista político, mestre em Relações Internacionais e professor de Universidade Federal que demonstra publicamente sua incapacidade na área em que se diz especialista?

A ele, nada. É perda de tempo. Mas é importante desmontar a farsa.

Igor Fuser foi entrevistado por Heródoto Barbeiro em 19 de abril de 2017 e proferiu várias das bobagens que adora repetir. Não vou me deter em suas opiniões sobre o impeachment de Dilma porque seus argumentos já estão desmontados aqui e aqui. Vamos nos concentrar na sua narrativa sobre as dificuldades políticas e econômicas da Venezuela.

A opinião do militante professor na entrevista pode ser resumida assim: a crise na Venezuela é culpa da direita malvadona, dos comerciantes inescrupulosos e da queda dos preços do petróleo a partir de 2014 (link para a entrevista completa aqui).

Uma afirmação destas revela miséria intelectual ou moral. Se de fato acredita nisto, o que é improvável para um especialista em Venezuela, o déficit é intelectual. Caso contrário, está simplesmente mentindo e o problema é moral.

Uma semana após a reeleição de Dilma em 2014 escrevi um artigo em que fiz a seguinte análise:

“A esquerda e o PT acreditam que aparelhando tribunais, autarquias, congresso, repartições, estatais etc. vão conseguir mudar até as leis da oferta e da procura ou a lógica da economia. Imaginam que todos os movimentos, todas as experiências internacionais falharam porque não tinham um Lula, um José Dirceu ou uma Dilma manejando o leme do destino. Mas para quem entende um pouco de economia, de natureza humana e de matemática, Brasil, Argentina e Venezuela formam um gráfico que mostra diferentes estágios da evolução desta “doença”.

No Brasil, com estrutura econômica e política mais sólida, com maior vigilância da sociedade civil, o caos evolui mais lentamente. Na Argentina, já vemos o estágio 2, com dólar paralelo e índice de inflação totalmente descolados da “verdade oficial”, desemprego crescente e falência financeira. Na Venezuela, infelizmente, chegou-se ao estágio 3, ou seja, terminal. Dificilmente o país sai desta crise sem muito sofrimento para toda a população”.

É algo bem mais sólido e lúcido do que estas bobagens que o professor Igor Fuser diz agora, em 2017, sem reconhecer nem mesmo a realidade que o atropela.

Para começar, como está claro no gráfico abaixo, os preços do petróleo no período de 2010 até o final de 2014 estiveram acima dos preços anteriores à 2008.

Como explica bem Justin Fox em artigo de 2015, a divergência entre receitas e despesas da Venezuela começou muito antes do colapso do preço do petróleo em 2014. Quando os preços atingiram uma alta histórica, em julho de 2008, 40 por cento da recita do governo vinha diretamente do petróleo, mas já estava diminuindo porque a capacidade de produção apresentava queda: caiu de 3,3 milhões de barris por dia em 2006 para 2,7 milhões em 2011 e seguiu assim até 2014, segundo estudo da BP Statistical Review of World Energy.

A queda na produção não é falta de reservas ou de compradores, mas falta de capacidade técnica de exploração. A gestão que o governo Chávez realizou na Petróleos de Venezuela (PVDSA), a partir do ano 2000, corroeu a eficiência da companhia.

Ao mesmo tempo em que reduzia a eficiência da empresa, o presidente venezuelano começou a chamar sua estratégia de governo de “Socialismo do Século 21” e transformava em gastos públicos os recursos do petróleo. Continuou com gastos elevados mesmo após o dinheiro começar a acabar, o que deixou o país em uma situação insustentável (é o tal realismo mágico que a esquerda adora, gastando como se não houvesse amanhã).

Assim, não é por acaso mas por má gestão que Chávez desvalorizou a moeda venezuelana em 2005 e repetiu a dose em janeiro de 2010.

preço do petróleo

A crise, é bom lembrar, não se deve apenas à péssima gestão do setor de petróleo e à irresponsabilidade fiscal. Chávez, com seu socialismo populista, dilapidou a iniciativa privada da Venezuela e, com ela, a eficiência em diversos setores. Em 2009, por exemplo, a produção industrial se retraiu 8,3% devido à escassez de matérias-primas e de recursos para importar estes insumos. Não foi um caso isolado e sim a reiteração do desastre conduzido pelo caudilho bolivariano.

Em 2010 a Venezuela teve inflação de 40% e uma das recessões mais severas do mundo. Foi neste ano que, após perseguir e sucatear o setor de supermercados (como se eles fossem os responsáveis pela escassez), Chávez criou a PDVAL, estatal alimentícia, subsidiária da estatal petrolífera PDVSA, para distribuir alimentos no país. Não resolveu e ficou famoso o episódio das toneladas de carne apodrecendo no porto pela ineficiência da estatal.

É importante lembrar que, com o desestímulo aos produtores rurais “burgueses”, cerca de 90% dos alimentos consumidos no país eram importados.

De lá para cá a coisa não melhorou nada, ao contrário.

Em 2015, para pagar suas contas, a Venezuela teve que emprestar US$ 15 bilhões da China e imprimir muito dinheiro, piorando ainda mais a inflação e as contas públicas.

Acredito que até aqui tenha ficado claro que a explicação de Igor Fuser para a crise da Venezuela é falsa sob qualquer aspecto.

Passemos então para suas opiniões sobre a “democracia” na Venezuela, que ele inclusive já declarou desejar ver implantada no Brasil.

Ao atribuir a crise ao congresso e falar do poder judiciário como se fosse um poder independente, legítimo, e não um órgão destruído e aparelhado por Hugo Chávez, novamente nos leva à questão: trata-se de falha intelectual ou moral?

José Miguel Vivanco era diretor da Human Rights Watch para as Américas quando declarou: “Durante anos, o Presidente Chávez e os seus seguidores tem construído um sistema no qual o governo pode intimidar e punir venezuelanos que interferem com a sua agenda política. Hoje esse sistema está firmemente enraizado, e os riscos para juízes, jornalistas e defensores dos direitos humanos são maiores do que nunca.

Logo depois, em setembro de 2008, foi expulso do país e disse:

“(Chávez) Foi eleito democraticamente, mas trata-se de uma democracia em que o governante governa sem controles à sua gestão; é um Estado de Direito de papel”.

Ou seja: qualquer pessoa que domina o sentido das palavras e alguma lógica sabe que onde o estado de direito é de papel e não real, já não há democracia.

Democracia, como é compreendida em teoria política, pressupõe a existência de eleições periódicas e a existência e independência dos poderes executivo, legislativo e judiciário.

Também por lógica e precisão conceitual, tudo que não é democracia é ditadura, que pode assumir diversas formas, como a teocracia iraniana, as monarquias absolutistas, o fascismo, o nazismo, o comunismo, o socialismo ou o bolivarianismo Chavista.

Estes três últimos, aliás, são uma espécie de “sonho de consumo” de Igor Fuser. E, como podemos comprovar, ele não tem qualquer pudor em fazer malabarismos com as palavras e a realidade para defendê-los.

 

Artigo de Paulo Falcão.

Anúncios

74 comentários em “IGOR FUSER, O MALABARISMO DAS PALAVRAS E A MISÉRIA INTELECTUAL.

  1. Victor Chamun
    05/07/2017

    A democracia não se limita a como se alcança o poder, mas também como se exerce esse poder.

    Oito motivos para considerar a Venezuela uma ditadura, baseado em um relatório do Human Rights Watch.
    Alguns desses abusos também ocorrem no Brasil.

    1- Violência pós-eleitoral:
    Segundo grupos locais, as forças de segurança utilizaram força excessiva e detenções arbitrárias para dispersar as manifestações contra o governo ocorridas após as eleições de abril.

    2- Independência judicial:
    Desde que o Presidente Chávez e seus partidários na Assembleia Nacional assumiram o controle político da Suprema Corte em 2004, o poder judiciário praticamente parou de funcionar como um poder independente do governo. Membros da Suprema Corte rejeitaram abertamente o princípio de separação de poderes, se comprometeram publicamente com a defesa da agenda política do governo e tomaram repetidas decisões a seu favor, validando seu desrespeito aos direitos humanos.

    3- Liberdade de imprensa:
    Durante a última década, o governo aumentou e abusou de seus poderes para controlar a imprensa. Apesar de duras críticas ao governo ainda serem comuns em vários jornais e em algumas estações de rádio, o medo de represálias transformou a autocensura em um problema grave.

    4- Defensores dos direitos humanos:
    O governo venezuelano tem procurado marginalizar os defensores de direitos humanos do país, acusando-os repetidamente de tentar enfraquecer a democracia da Venezuela com o apoio do governo dos Estados Unidos.

    5- Abusos cometidos pelas forças de segurança:
    As mortes causadas pelas forças de segurança são um problema crônico. De acordo com as estatísticas oficiais mais recentes, agentes da lei supostamente mataram 7.998 pessoas entre janeiro de 2000 e o primeiro trimestre de 2009. Em julho de 2013, militares abriram fogo contra um carro no Estado de Falcón, matando a motorista e uma de suas filhas e ferindo as outras duas. Depois que o caso recebeu cobertura generalizada da mídia, promotores acusaram 10 militares por sua suposta responsabilidade nas mortes. No entanto, a impunidade continua sendo a norma.

    6- Condições das prisões:
    As prisões venezuelanas estão entre as mais violentas da América Latina. Problemas como fraca segurança, deterioração da infraestrutura, superlotação, guardas insuficientes e despreparados e corrupção permitem que grupos armados controlem as prisões. Centenas de mortes violentas nas prisões ocorrem todos os anos.

    7- Direitos trabalhistas:
    A discriminação política contra trabalhadores em instituições do estado ainda é um problema. Em abril de 2013, o Ministro da Habitação Ricardo Molina exigiu que todos os funcionários do ministério que apoiavam a oposição pedissem demissão, afirmando que demitiria todos que fizessem críticas a Maduro, Chávez ou à “revolução”.

    8- Principais agentes internacionais:
    Por muitos anos, o governo da Venezuela se recusou a autorizar especialistas em direitos humanos da ONU a realizar visitas de averiguação no país.
    A Venezuela apoiou uma campanha do Equador para enfraquecer a independência da Comissão Interamericana de Direitos Humanos e limitar as verbas e a eficácia de seu enviado especial sobre a liberdade de expressão. Apesar de não terem conseguido apoio para esse esforço na reunião da Assembleia Geral da Organização dos Estados Americanos realizada em março de 2013, os dois governos, bem como outros membros da Aliança Bolivariana para as Américas (ALBA), deixaram clara sua intenção de continuar pressionando para que tais alterações ocorram no futuro.

    OBS: Nesse relatório ainda não constam fatos mais recentes.

    • Questões Relevantes
      05/07/2017

      Obrigado.

  2. Pingback: CÁLICE, DE CHICO E GIL, A VENEZUELA E A PORCA QUE JÁ NÃO ANDA. | questões relevantes

  3. Eurico Silva
    05/04/2017

    A Direita está doidinha para dar um golpe na Venezuela, como deram aqui!

    • Questões Relevantes
      05/04/2017

      Eurico, você não leu o artigo. Mas sobre seu comentário, há diversos artigos no blog que tratam do tema. Este é um deles:
      PROFESSORES DA FFLCH-USP E O MANIFESTO CARA DE PAU.
      http://wp.me/p4alqY-ht

      Este outro tem um rico debate na área de comentários:
      QUAL O PERFIL DE QUEM CHAMA O IMPEACHMENT DE “GOLPE”?
      http://wp.me/p4alqY-t8

      • Eurico Silva
        05/04/2017

        Também sou capaz de fazer os perfis dos que chamam o golpe de “Impeachmente”!

      • Questões Relevantes
        05/04/2017

        Então tente, mas com argumentos, não com mistificações.

      • Eurico Silva
        05/04/2017

        Claro que Questões Relevantes não mistifica nada, kkk

      • Questões Relevantes
        05/04/2017

        Cite as mistificações que uso.

      • Eurico Silva
        05/04/2017

        Mistificação 1: Questões Relevantes esquece que Maduro foi eleito em eleições livres;

        2: esquece do golpismo de direita contra Chávez em 2002, celebrado na mídia, mas golpismo fracassado ao fim;

        3 Questões Relevantes desconsidera que o caos social é provocado pelo empresariado que esconde mercadorias da população;

        4 “Questões Relevantes”, independentemente do tema, está sempre contra a esquerda, então porque não estaria também contra o chavismo?

        5 “Questões Relevantes” tem uma concepção estreita de democracia, na qual parece não caber o bem estar social dos povos, sequer o de origem burguês keyneziana

        6 “Questões Relevantes” me parece um think tank, tentando unir a direita nacional em diversos temas, como o previdenciário aqui no Brasil e inclusive os externos, como desta postagem

        7 “Questões Relevantes” não é neutra em nada, como eu também não sou!

        8 Questões Relevantes esquece que o chavismo venezuelano ganhou diversas eleições e plebicitos livres;

        9 Questões Relevantes esquece que a Venezuela tem uma das maiores reservas (não exploradas) de petróleo do mundo e isso atiça a cobiça estrangeira (EUA). Sugiro que “Questões Relevantes” veja o mapa do petróleo e das guerras e golpes, parece haver certa coincidência entre eles; Mistificação

        10, mas esta não é do “Questões Relevantes”, mas minha. Tenho simpatias pelos pobres e trabalhadores do mundo.

      • Questões Relevantes
        05/04/2017

        Eurico Silva , você é um oponente muito fraco. Não domina nada do tema que critica e ainda por cima criticou sem ler o artigo. Se leu, pertence àquele grupo que não entende o que lê. Serei didático e demonstrarei seus erros.

        Erro 1: Você afirma que Maduro foi eleito em eleições livres;
        Não foi. A posse de Maduro significou ignorar explicitamente a constituição Venezuelana que o próprio Chávez aprovou. Como observou bem Demétrio Magnoli à época, Chávez iludiu o povo ao apresentar sua candidatura à reeleição garantindo, mentirosamente, estar curado de um câncer. Era mentira, mas até ai nenhuma ilegalidade, apenas a mentira como método.
        Acontece que segundo a Constituição venezuelana, na ausência do presidente eleito, o presidente da Assembleia Nacional, que era Diosdado Cabello, deveria assumir provisoriamente a presidência e nomear uma junta médica para determinar se a ausência era temporária ou definitiva. Sendo definitiva, seriam convocadas novas eleições.
        Mas, em Havana, a cúpula chavista reunida com Raúl Castro decidiu-se pela declaração da “continuidade” do governo de Chávez, violando duplamente a norma constitucional.
        Os líderes chavistas justificaram a violação da norma invocando o respeito à “soberania popular”, isto é, ao voto do eleitorado que conferiu o novo mandato a Chávez. Efetivamente, porém, entregaram a presidência a alguém que não foi eleito por ninguém: Maduro, o vice-presidente nomeado por Chávez no mandato que se encerrou a 9 de janeiro. Na Venezuela, vices-presidentes não são eleitos, mas nomeados e demitidos pelo presidente como qualquer ministro. O usurpador instalado no palácio presidencial de Caracas não tem a legitimidade de Chávez nem a de Cabello, que representa o parlamento.

        Erro 2: Afirma que esqueço do golpismo de direita contra Chávez em 2002, celebrado na mídia, mas golpismo fracassado ao fim;
        Não esqueço nada. Não apoiei o golpe à época e continuo defendendo, sempre, o estado de direito, algo que você aparentemente não sabe o que significa.

        Erro 3: Afirma que desconsidero que o caos social é provocado pelo empresariado que esconde mercadorias da população;
        Falso. Esta é apenas uma narrativa estúpida de quem não entende nada de comércio, logística e varejo.
        Um supermercado, por exemplo, tem a maior parte de seu estoque exposta nas gôndolas e uma fração no depósito para fazer a reposição. Além disso, tem despesas mensais elevadas com aluguel, luz, funcionários, pagamento das mercadorias que vende etc. Não faz sentido nenhum imaginar que prefira deixar de atender milhares de pessoas, mesmo com margens modestas, para atender algumas dezenas com ágios altos. Isto só aconteceria na hipótese de que o preço que ele é obrigado a vender a mercadoria é inferior à soma do custo da mercadoria mais seus custos operacionais. Nestes casos, é melhor não comprar e não vender.
        Além disso, como o próprio artigo esclarece, “em 2010 a Venezuela teve inflação de 40% e uma das recessões mais severas do mundo. Foi neste ano que, após perseguir e sucatear o setor de supermercados (como se eles fossem os responsáveis pela escassez), Chávez criou a PDVAL, estatal alimentícia, subsidiária da estatal petrolífera PDVSA, para distribuir alimentos no país. Não resolveu e ficou famoso o episódio das toneladas de carne apodrecendo no porto pela ineficiência da estatal.
        É importante lembrar que, com o desestímulo aos produtores rurais “burgueses”, cerca de 90% dos alimentos consumidos no país eram importados.
        De lá para cá a coisa não melhorou nada, ao contrário”.

        Erro 4: Apresenta como mais uma mistificação (você sabe o que significa esta palavra?) o fato de, independentemente do tema, eu estar sempre contra a esquerda, o que inclui, claro, o chavismo.
        Este blog tem um posicionamento manifestamente liberal e trabalha com dois eixos principais: o esclarecimento permanente do que vem a ser direita e esquerda, esmiuçando sua conceituação na academia; e o desmonte de fraudes intelectuais influentes, como é o caso do artigo apontando didaticamente os erros de Igor Fuser.
        Não há nada de mistificação nisso. Todas as críticas são devidamente apoiadas em fatos comprováveis, verificáveis. É justamente o oposto da mistificação que o próprio Igor Fuser exerce com tanto empenho.

        Erro 5: Afirma que tenho uma concepção estreita de democracia, na qual parece não caber o bem estar social dos povos, sequer o de origem burguês keyneziana.
        Isto revela, mais uma vez, que tem o péssimo hábito de criticar o que não leu, o que não conhece. É tipicamente uma mistificação. Use a palavra DEMOCRACIA no campo de busca do blog e confira o tamanho de seu equívoco. Como sei que é preguiçoso, já vou deixar dois links:
        “DEMOCRACIA SOCIALISTA” É O SACI PERERÊ DA CIÊNCIA POLÍTICA: NÃO PASSA DE FOLCLORE.
        http://wp.me/p4alqY-3n

        e A PROVA DE QUE A DIREITA TEM CORAÇÃO.
        http://wp.me/p4alqY-kz

        Erro 6: aqui você quase acertou, mas também não seria um exemplo de mistificação. Minha intensão não é unir a direita sobre temas nacionais e internacionais, mas contribuir para uma discussão bem fundamentada, que dê nomes aos bois e desmonte farsas.

        Erro 7: aponta como uma mistificação o fato de eu ter preferências políticas e ideológicas, de não ser neutro. Mais uma vez demonstra não saber o significado de mistificação e aponta como defeito algo que me parece uma virtude, seja em articulistas de direita como de esquerda.

        Erro 8: Me acusa de esquecer que o chavismo venezuelano ganhou diversas eleições e plebicitos livres;
        Não esqueço não. E lembro que Chávez usou as regras da democracia para destruir a democracia por dentro, para implodí-la e substituí-la pelo “socialismo do século XXI”.
        Aliás, o próprio artigo diz que “José Miguel Vivanco era diretor da Human Rights Watch para as Américas quando declarou: “Durante anos, o Presidente Chávez e os seus seguidores tem construído um sistema no qual o governo pode intimidar e punir venezuelanos que interferem com a sua agenda política. Hoje esse sistema está firmemente enraizado, e os riscos para juízes, jornalistas e defensores dos direitos humanos são maiores do que nunca.”

        Logo depois, em setembro de 2008, foi expulso do país e disse:

        “(Chávez) Foi eleito democraticamente, mas trata-se de uma democracia em que o governante governa sem controles à sua gestão; é um Estado de Direito de papel”.

        Ou seja: qualquer pessoa que domina o sentido das palavras e alguma lógica sabe que onde o estado de direito é de papel e não real, já não há democracia.”

        Erro 9: Que esqueço que a Venezuela tem uma das maiores reservas (não exploradas) de petróleo do mundo e isso atiça a cobiça estrangeira (EUA).
        Esta afirmação é coisa de gente muito, muito estúpida. Os EUA sempre foram o maior comprador de petróleo da Venezuela, inclusive durante os governos Chávez e Maduro. O preço do barril é internacional. Se os EUA quisessem acabar com Chávez, bastaria terem reduzido drasticamente a importação da Venezuela aumentando a compra de outros países produtores. No fim, esta é mais uma típica mistificação para tentar justificar o desastre gerencial que foi a administração bolivariana da Venezuela.

        Erro 10: Afirma ter simpatias pelos pobres e trabalhadores do mundo, deixando subentendido que eu não tenho tais simpatias.
        Na tentativa de reduzir um pouco mais sua ignorância geral e específica, deixo mais uma sugestão e artigo:
        SE O SEU GURU XINGA A RESPONSABILIDADE FISCAL, PEÇA UM EMPRÉSTIMO PARA ELE.
        http://wp.me/p4alqY-qm

      • Eurico Silva
        05/05/2017

        Questões Relevantes parece ter uma boa estrutura para ficar rebatendo internautas que não reza por seu credo (neo) liberal. Não entendo as preocupações e motivações disso, mas mantê-la deve ter um custo razoável que, não obstante, não é problema do internauta herético, como eu. Mas acho engraçado como questões relevantes tem um probleminha com o fatos da história, como, por exemplo, o “pequeno” fato de Maduro ter vencido a última eleição com 50, 62% dos votos. Capriles, candidato da direita, embora bem votado, perdeu o pleito. Mas parece que Questões relevantes não se pauta por fatos objetivos e sim por desejos políticos a revelia dos das urnas.

        Outro dado bastante engraçado são as referências utilizadas por Questões relevantes. São referências circulares que pensam, dizem e defendem o mesmo besteirol neoliberal. Quem não conhece Demétrio Magnoli e suas posições que, mesmo respeitáveis, são ultradireitistas. Sugiro ao Questões Relevantes (que parece possuir boa estrutura e recursos) ser um pouquinho mais dialético. Discuta com outros autores. Esqueça os seus ídolos e vá atrás do pensamento de outros; pare de repetir mantras auto referenciáveis; o mundo é grande e outras correntes de pensamento pode contribuir para o conhecimento, se este for o objetivo, embora eu duvide que seja.

        Outro ponto comum em Questões Relevantes é a desqualificação daquele que não reza pelo credo neoliberal: fui qualificado de ignorante, preguiçoso e estúpido. Acho que o atingi fundo, então daí o palavriado chulo a mim dirigido! Não? Sugiro ao Questão Relevante menos (des) qualificação e menos adjetivação. Um texto muito adjetivado, como costumas ser os textos direitistas, tem pouco substância. Quase nada sobram deles. Na busca em me desqualificar, esqueceu dos meus argumentos e nenhum deles foi derrubado. Questões Relevantes parece ter uma concepção particular de Democracia. Quanto mais eleição, mais referendo, mais plebiscito ou consulta popular de qualquer natureza, considero mais democrático o regime em questão. Assim, para mim, a Venezuela chavista é o país mais democrático da América. Quando o chavismo perdeu, respeitou o resultado das urnas. Contudo, Questões Relevantes parece pensar exatamente o oposto, muita consulta popular significa corroer por “dentro” a democracia. Nada mais estranho à palavra grega que significa “poder do povo”. Fiquei com dúvida em um ponto. Será que Questões Relevantes e eu estamos falando do mesmo planeta. No meu planeta, chamado Terra, tem uma clara correlação entre guerras, golpes, etc e petróleo (golpe no Brasil de 2016, por exemplo, com o seu Pré Sal já entregue). Sugiro, novamente, que o Questão Relevante olhe o mapa mundo, as guerras e golpes do século XX e o petróleo. Com um pouquinho de honestidade intelectual verá certa correlação entre uma coisa e outra. O imperialismo do centro do capitalismo está sempre atuante, diferente de nossa direita tupiniquim e vira-lata, que, no oposto de ser imperialista, é entreguista.

        Por fim, um desafio: mostre um texto do Questão Relevante que defendeu o trabalho e se opôs ao capital, não necessita ser uma oposição radical. Mostre um texto que optou pelo pobre, pelo trabalho, pelo direito trabalhista, previdenciário, pelo avanço social dos de baixo. Duvido ser capaz!

      • Lúcio Júnior Espírito Santo
        05/05/2017

        Sem dúvida Paulo Falcão acredita que através de eleições a esquerda corrompe a democracia.

        E quando a direita vence, o exemplo fracassa, como no congresso. Ou a direita apenas e´feita de tonta numa farsa pelo populismo??? Não seria melhor então o golpe de estado puro e simples como em 2002? Seu raciocínio indica que sim. Pena que a primeira medida do Carmona, grande empresário lá, foi dissolver o parlamento, o que motivou a volta do Chávez ao poder via contragolpe do general Baduel.

        E sem dúvida, a existência de eleições e referendos para vc não garante nada. No entanto, se o referendo revogatório existisse aqui e fosse aplicado para Dilma, o enorme problema de legitimidade de Temer estaria resolvido. Para vc, quanto mais eleição, mais conselho popular, mais participação popular, menos democracia –burguesa. Ou não???

      • Questões Relevantes
        05/05/2017

        Não é uma crença, Lúcio Júnior Espírito Santo, apenas observação. O Caso da Venezuela é exemplarmente didático.

        A democracia já não existe na Venezuela desde antes do golpe frustrado contra Chávez em 2002. Depois da tentativa de golpe, a situação piorou. Veja abaixo o comentário de Rodrigo Peñaloza.

      • Lúcio Júnior Espírito Santo
        05/05/2017

        Eu me lembro claramente da disputa eleitoral entre Capriles e Maduro ter sido apresentada pela mídia. Pareceu-me que sim, foi eleito e tem apoio popular baseado no nacionalismo populista e no assistencialismo.

      • Questões Relevantes
        05/05/2017

        Eurico Silva, Maduro assumiu a presidência em 2012 em desrespeito a constituição venezuelana e foi desta condição privilegiada e ilegítima (em um autêntico golpe contra a constituição) que disputou o pleito de 2013. Você entende que ter vencido este pleito legitima tudo, eu não. Você e o Lúcio Júnior Espírito Santo não gostam da democracia representativa burguesa, a única que exite de fato, e preferem modelos exóticos como a “democracia” cubana ou venezuelana. Entendo. Não tenho problemas com isto desde que chamem as coisas pelos nomes que têm: ambas são ditaduras, sendo a cubana uma ditadura absoluta, de partido único, e a venezuelana uma ditadura por aparelhamento generalizado do aparato estatal, inclusive o poder judiciário.

        Sobre democracia direta, deixo aqui uma indicação de artigo que escrevi a respeito:
        DEMOCRACIA DIRETA:BOA INTENÇÃO LIBERTÁRIA OU LIBERTICIDA?
        http://wp.me/p4alqY-62

        Este também trata da questão:
        A ESPERANÇA E A FÁBRICA DE SOFRIMENTO.
        http://wp.me/p4alqY-9z

      • Lúcio Júnior Espírito Santo
        05/05/2017

        E sua opinião sobre Capriles? Porque seguindo seu raciocínio, ele é bobo.

        Venezuela é democracia liberal governada por populistas. E a oposição, é composta de tontos? Participam da farsa? Por que a mídia apresenta Capriles e Maduro numa campanha e não adota sua retórica sobre Maduro?

        Interessante que o sábio empresário Carmona quis fechar o parlamento. Interessante como a direita é democrata né? Ela ama a democracia representativa…pero no mucho.

      • Questões Relevantes
        05/05/2017

        Lúcio, a tentação totalitária também acomete a direita, mas neste caso a extrema direita, que, como a esquerda, despreza a democracia.

      • Lúcio Júnior Espírito Santo
        05/05/2017

        O que eu vejo é que a esquerda corrompe a democracia, no seu entender, promovendo um excesso de democracia, com conselho popular, democracia direta. Vc teme um mundo melhor: este já está bom, esta democracia é a melhor que existe. Se tentar melhorar, estraga. Estou errado?

      • Eurico Silva
        05/05/2017

        Lúcio, o Brasil não tem liberal. Não, liberais são uma espécie extinta. Aqui os que se dizem liberais defendem monopólios (mídia, bancário, transportes, etc). Parecem não ter lido os clássicos. Aqui os liberais gostam do ESTADO, desde que ele dê uns bilhõezinhos para a banca (PROER do FHC e agora com Temer dando 20 bi para ITAUUUU ou 100 para as tele). Liberais, não existem, estão extintos. Os que se dizem são contra a liberdade nos costumes. Uma aberração em essência! Muitos defendem o controle do corpo da mulher; são contra a extensão dos direitos civis aos homossexuais. Defendem a meritocracia, sim, mas apenas para o lado do trabalho, nunca para o do capital. Para este, ESTADO na veia. Nossos, de hoje, são como no início do século XX, gostam do “Convênio de Taubaté”, no qual o ESTADO os salvavam da falência. “Quatrocentões” paulistas tinham o EsTAdo para salvá-los da bancarrota. Estes são nossos liberais. Estado MÍNIMO para o povo e o trabalho e Estado MÀXIMO para o capital.

      • Lúcio Júnior Espírito Santo
        05/05/2017

        Sim, eu também acho isso. Mesmo Paulo, muito democrático para os padrões brasileiros, também é liberal-conservador. O liberal mais originalmente ligados aos ideais a favor de direitos civis aqui é em geral empurrado para a esquerda ao estilo PSOL ou PT.

        E eu acho curioso: qual seria a melhor leitura de Marx? Ou ele não deveria ser lido na academia? Por que você, Paulo Falcão tende a defender uma vitória total do liberal-conservador: Marx não deveria ser lido na academia, pois levanta um projeto ultrapassado e perigoso. Seus comentários trazem consigo um temor: não falem dele! Ele traz consigo um pensamento desviante e dissolvente, ao mesmo tempo religioso e racional, fanatizante. Não o coloquem ao alcance de crianças pois ele é difícil de refutar até para mim, imagine para esses cérebros funqueiros…

      • Eurico Silva
        05/05/2017

        Questões Relevantes gosta da democracia burguesa DESDE QUE a esquerda não vença: lulismo, chavismo, varquismo, janguismo, alhendismo, etc, vc vai criticar sempre.

      • Questões Relevantes
        05/05/2017

        Eurico Silva , defendo o estado de direito. Se um governo mais à esquerda respeita as regras que estruturam este estado, nada contra. O problema se dá quando esquerda ou direita usam a democracia e o estado de direito para solapá-los, como Chávez na Venezuela (esquerda) e, muito mais grave, Hitler na Alemanha (direita).

        Defender a democracia e o estado de direito significa defender a democracia representativa, que pode ser assimétrica mas é a única democracia conhecida pós revolução industrial. As alternativas terminaram em autoritarismos ou totalitarismos.

        Quanto aos questionamentos do Lúcio Júnior Espírito Santo, acho que Marx deve ser lido, mas com a consciência de que suas teses, no campo econômico, não funcionam, e no campo político resultam em ditaduras que nunca viram a borboleta da liberdade sem estado.

        Sobre o capitalismo brasileiro, de fato não somos liberais, temos um estado muito grande, burocrático e regulador que dificulta o chamado “livre mercado” e acaba favorecendo o chamado “capitalismo de compadrio”, uma simbiose nefasta que tira de todos (via impostos) e dá aos amigos. Há neste blog um artigo que trata disto:
        O CAPITALISMO ENTRE AMIGOS
        http://wp.me/p4alqY-f3

  4. Questões Relevantes
    04/30/2017

    conheço esta sua ladainha, mas como o artigo lembra, eleições não são sinônimo de democracia, são uma das condições necessárias. Seu comentário me lembrou este artigo em que esquerdistas famosos também tentam negar a natureza totalitária e sangrenta do socialismo:
    A ESQUERDA E OS CAMINHOS QUE SE BIFURCAM.
    http://wp.me/p4alqY-4D

  5. Aluizio Alves Filho Alves
    04/29/2017

    Chávez ascendeu na Venezuela em função do péssimo governo de Carlos Andrés Peres que foi privatizando tudo e levou em pouco tempo os trabalhadores venezuelanos à miséria jamais vista naquele país.

    • Questões Relevantes
      04/29/2017

      O governo de Peres pode ter sido um desastre, mas claramente sua frase hiperbólica se revela falsa: nunca o povo venezuelano enfrentou tantas carências como hoje, resultado da irresponsabilidade fiscal e loucura política da dupla Chávez e Maduro.

      • Lenilson Luiz Costa
        04/29/2017

        Questões Relevantes, a miséria da esquerda é de ter aversão a leitura! Desprezo pelo mundo real!

      • Questões Relevantes
        04/29/2017

        Lenilson, discordo parcialmente de você. Na média, o pessoal da esquerda tem mais leitura que o pessoal da direita, mas você está certo quando fala que desprezam o mundo real, e este desprezo se traduz em dificuldade para compreender o quanto suas crenças são canoas furadas.

      • Antonio Rezende
        04/29/2017

        Não precisa P.H.D. em gestão econômica para compreender, nem precisa compreender, pois fica fácil de ver o que o populismo bolivariano produziu na Argentina, Bolívia, Venezuela, Brasil.

        E o Chile Hem? Só crescendo e assistindo de camarote as catástrofes econômicas do marxismo.

      • Lúcio Júnior Espírito Santo
        04/30/2017

        Questões Relevantes, se fosse assim o governo já teria sido tirado em meio a tantos referendos e eleições.

      • Questões Relevantes
        04/30/2017

        Os desastres são construções lentas. A crise do Brasil, por exemplo, começou a ser cultivada em 2008 quando Lula abandona os fundamentos do plano real e abraça a tal “nova matriz econômica” que Dilma aprofundou. Na Venezuela a tragédia já estava desenhada desde que o projeto bolivariano começou.

      • Lourival Marques
        04/30/2017

        Vc está negando a realidade, Lúcio? Ao falar “se fosse assim”… Cara, vc não vê as notícias? Pessoas estão sendo mortas pelo governo de Maduro por protestar e vc me fala “se fosse assim”?

      • Antonio Rezende
        04/30/2017

        Eu acrescentaria à sua ótima avaliação “questões relevantes” a inabilidade e falta de visão da política externa e econômica brasileira, que preferiu investir maciçamente no Mercado Chinês que estava no auge do crescimento, importando muito do Brasil, principalmente o aço.
        O abandono a nosso mercado +mais antigo, EUA, comunidade europeia, para investir em países com o perfil ideológico e político do PT nos custou caro

      • Sandro Ferreira de Almeida
        04/30/2017

        E se analisarmos mais profundamente Chegaremos na conclusão que ,deis de Sarney começou tudo Devagar a esquerda nostálgica ,que viveu a perda de seus sonhos em 1964 tenta resgatar o tempo perdido ,trazendo a velha utopia derrotista do passado para o presente Vejam como eles se aproximaram de Cuba Mesmo enxergado a miséria cubana não os desanimaram.Chego a crer que todo o objetivo da esquerda ,é mergulhar qualquer sociedade na miséria total Por que ? Não tem como construir heróis salvadores sem a miséria ,sem crises ,e sem lavagem cerebral.Tanto Hitler como Stálin chegaram em uma conclusão durante seus regimes ” Sem crise o regime não sobrevive ” Por isso se não houver uma crise ,construa uma .Todo o objetivo da esquerda e destruir o capitalismo.Isso se faz com inflação ,altos impostos ,taxas e multas Assim vc mina a economia e concentra toda a riqueza dentro do estado .Sem capital ,sem trabalho ,sem consumo sem esperança Vc fica a mercê total do estado.

        Por isso vemos velhos de 50 anos ,se comportando como se estivesse vivendo nos tempos da ditadura ainda Como adolescentes que acreditam ter vencido o governo militar São loucos.

      • Aluizio Alves Filho Alves
        04/30/2017

        Questões Relevantes, você quer? Tenho larga documentação sobre a miséria que a reforma neoliberal de Carlos André Peres enfiou o povo Venezuelano. Consulte a F. de S.Paulo da ocasião. Tenho material da Folha , do Clarin (bem melhor do que o da Folha) sobre a miséria que o neoliberalismo enfiou a Venezuela. Coisa nunca vista e incomparável. Aliais onde essa porcaria é enfiada a força na população o resultado é o mesmo: desprego, aumento da desigualdade racial, racismo e por ai vai. A Europa é caso típico. As reformas neoliberais arrasaram o velho mundo…

      • Questões Relevantes
        04/30/2017

        Aluizio, sim, eu quero ver a documentação que você tem. Será interessante. Mas sua tese central é falha: a política neoliberal de Thatcher criou as bases para que o Reino Unido recuperasse sua economia e ampliasse seu espaço no cenário econômico mundial em comparação com os 30 anos que a precederam. Na Alemanha, a reforma trabalhista do governo Gerhard Schröder foi a grande responsável pela economia estável e pelo desemprego baixo, além de garantir o protagonismo do país na economia européia. Os cíticos desta reforma falam em salários menores e distorções sociais, mas esquecem de fazer a comparação com outras economias europeias que não fizeram reformas e viram crescer o desemprego e os salários serem reduzidos. No Brasil o Plano Real criou as bases de um país mais sadio em que muitas demandas sociais começaram a ser atendidas. FHC entregou a Lula uma economia em muito melhores condições do que havia recebido. Lula seguiu a receita a fez um bom primeiro mandato. O desastre começou, como disse ao Lúcio Lúcio Júnior Espírito Santo acima, em 2008 quando Lula abandona os fundamentos do plano real e abraça a tal “nova matriz econômica” que Dilma aprofundou. Observo que é uma dificuldade crônica da esquerda entender a relação de causa e efeito entre suas ações e os desastres que colhem no futuro. Diante das informações que detalho no artigo, defender o governo Chávez é uma prova cabal do que afirmo.

      • Lúcio Júnior Espírito Santo
        05/02/2017

        Não Paulo…lula manteve a macroeconomia de FHC. O desastre veio dai kkk.

        Lourival Marques vocês são seletivos. Se a oposição triunfa no congresso festejam. Se Maduro ganha berram q e ditadura…

      • Questões Relevantes
        05/02/2017

        Lúcio Júnior Espírito Santo , Chávez esmagou a democracia na Venezuela. A ocorrência de eleição é condição necessária mas não suficiente para uma democracia ser considerada como tal. Quanto à sua opinião sobre a economia de FHC e Lula, revela que não entende nada de economia.

      • Emanoel Chaves de Oliveira
        05/02/2017

        Questões Relevantes, parabéns por suas atitudes rápidas que não deixam passar em branco as mentiras e ou a total ignorância dos acontecimentos na Venezuela. Total inversão de valores foram aplicados em nossos vizinhos venezuelanos e os deixou em uma grande crise econômica e de valores democráticos.

      • Aluizio Alves Filho Alves
        05/02/2017

        Tenho tese de doutorado sobre a Venezuela, aprovada com louvor. Vc é apenas mais um manipulado por noticiário de mídia corrupta.

        “O processo eleitoral na Venezuela é considerado o melhor do mundo pelo ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter, que coordena uma instituição de monitoramento de eleições ao redor do mundo há mais de uma década.”

        Sabia?

        Claro que não. Procure, pesquise o que Jimmy Carter diz a respeito da Venezuela … confira se o que estou dizendo é verdadeiro ao invés de ficar repetindo propaganda fascista enganosa.

      • Questões Relevantes
        05/02/2017

        Aluizio, não é a primeira vez que debatemos e, para não variar, chegamos à mesma encruzilhada em que você, sem conseguir sustentar suas opiniões com fatos, apela para seu currículo e passa vergonha em público. Neste caso, com doutorado tendo a Venezuela como tema, a vergonha é ainda maior. Passa a fazer companhia ao Igor Fuser no setor da miséria intelectual que assola a academia brasileira.

        Seu erro primário (em todas as acepções do termo) é confundir “qualidade da democracia” com “qualidade do sistema de votação”. Qualquer um que estude esta área e não seja desonesto ou obtuso sabe a diferença.

        Além disso, você manipula a informação descolada de sua curva temporal, o que altera substancialmente a correta interpretação dos fatos.

        A avaliação da Fundação Carter é de 2006, quando elogiou o sistema de votação venezuelano por incluir duas formas de contagem, a eletrônica e o voto impresso, o que dificulta fraudes (coisa que a direita brasileira também pleiteia, mais ou menos desde 2005). Não houve juízo de valor sobre o aparelhamento do judiciário, as perseguições à iniciativa privada, o estrangulamento econômico da imprensa não alinhada etc.

        Também omitiu que a Fundação Carter se retirou da Venezuela em 2015 em função da deterioração da segurança após a morte de Chávez.

        Aliás, lembramos que a posse de Maduro significou ignorar explicitamente a constituição Venezuelana que o próprio Chávez aprovou.
        Como observou bem Demétrio Magnoli à época, Chávez iludiu o povo ao apresentar sua candidatura à reeleição garantindo, mentirosamente, estar curado de um câncer. Era mentira, mas até ai nenhuma ilegalidade, apenas a mentira como método.

        Acontece que segundo a Constituição venezuelana, na ausência do presidente eleito, o presidente da Assembleia Nacional, que era Diosdado Cabello, deveria assumir provisoriamente a presidência e nomear uma junta médica para determinar se a ausência é temporária ou definitiva. Sendo definitiva, seriam convocadas novas eleições.

        Mas, em Havana, a cúpula chavista reunida com Raúl Castro decidiu-se pela declaração da “continuidade” do governo de Chávez, violando duplamente a norma constitucional.

        Os líderes chavistas justificaram a violação da norma invocando o respeito à “soberania popular”, isto é, ao voto do eleitorado que conferiu o novo mandato a Chávez. Efetivamente, porém, entregaram a presidência a alguém que não foi eleito por ninguém: Maduro, o vice-presidente nomeado por Chávez no mandato que se encerrou a 9 de janeiro. Na Venezuela, vices-presidentes não são eleitos, mas nomeados e demitidos pelo presidente como qualquer ministro. O usurpador instalado no palácio presidencial de Caracas não tem a legitimidade de Chávez nem a de Cabello, que representa o parlamento.

      • Eurico Silva
        05/08/2017

        Questões Relevantes, Thatcher desindustrializou a Grã Bretanha. Até a Itália é mais industrializada que ela.

      • Questões Relevantes
        05/08/2017

        Eurico Silva , a esquerda tem sérias dificuldades com matemática, gráficos, dados econômicos etc. Mesmo assim, com algum esforço você poderá pesquisar e compreender que Thatcher criou as bases para que o Reino Unido recuperasse sua moeda e espaço na economia mundial. Venceu uma inflação de 25% ao ano e criou as bases para a sustentabilidade econômica do governo inglês (que caminhava para a crise fiscal).

      • Aluizio Alves Filho Alves
        05/08/2017

        Questões Relevantes, sem conseguir sustentar suas opiniões:
        _Passa vergonha um público?
        Vc é um apenas um xingão. A sua tática é de tentar desqualificar e ridicularizar. Blefa o tempo inteiro. Qual é a sua prouição acadêmica? Que qualificação tem, que conhecimento tem para julgar tudo e o mundo?
        O pior é que vc finge ser um liberal e não tem nada a ver com esta tradição de pensamento.

      • Questões Relevantes
        05/08/2017

        Aluizio, você tem aquele velho hábito da esquerda de acusar o outro de seus próprios pecados.
        Toda vez que debatemos eu analiso e desmonto seus argumentos opondo a eles fatos incontestáveis.
        Já você…nada.
        Não há substância nas suas críticas. Você é incapaz de demonstrar um único erro factual em meu artigo ou na argumentação, ao contrário do que faço com os poucos argumentos que apresenta.
        E mais uma vez tenta vencer um debate com o currículo, já que no terreno da argumentação não consegue nada digno de nota.
        Sério, acho inacreditável que você tenha feito doutorado. Seu nível de escrita e de elaboração textual é flagrantemente de alguém com, no máximo, colegial incompleto.

      • Lúcio Júnior Espírito Santo
        05/08/2017

        Paulo Falcão na verdade vc tem muito medo da academia e do marxismo. Tenta muito diminuir o que te assusta.

      • Questões Relevantes
        05/08/2017

        Lúcio, em que sentido tenho medo? Eu não tenho medo nenhum. O que tenho é dó dos alunos submetidos a pessoas como Igor Fuser e Aluizio Alves Filho Alves.

      • Eurico Silva
        05/08/2017

        Questões Relevantes, repito, até a Itália, pouco levada a sério na Europa, tem mais indústria que a Grã-Bretanha. País pioneiro na maquinufatura, vive hoje do charme, da história, de uma monarquia até bonita e de uma economia de serviços globais nas áreas de educação e finanças. Salvo isso, não resta mais nada. Ave Thatcher, mãe da desindustrialização, vamos ver o que será do Reino Unido quando europeus transladarem as finanças de London para outra City europeia. A Alemanha conseguiu se especializar na indústria tradicional metal mecânica, química, farmacêutica, a Itália na indústria do designer mobiliário, na moda, no vestuário, a França, combina mal, muito mal, as duas coisas acima, somada a melhor agricultura da Europa. E o Reino Unido tem o inglês, língua global, e boas universidades e bancos globais. Só isso. Mas claro, Thatcher, que ferrou o inglês, tem que ter razão, né?

      • Questões Relevantes
        05/08/2017

        Eurico, acho que até você vai conseguir entender este gráfico:
        EVOLUÇÃO DO PIB DO REINO UNIDO DESDE 1960.
        http://migre.me/wA05y

      • Lúcio Júnior Espírito Santo
        05/08/2017

        Questões Relevantes, vc parece sim, preocupado em combater comunistas.
        Os alunos crescidos no mundo neoliberal tem um pensamento e retórica parecido com o seu, repetem alguns dos seus axiomas, sabia? Só que vc é muito mais sofisticado e culto, mas eles também utilizam alguns de seus argumentos e autores.
        Estou me lembrando de ter lido um artigo de um militar norte-americano dizendo que os usa iam usar o xisto para não depender mais de petróleo estrangeiro. Assim como iam usar isso como arma política contra Irã e Venezuela.
        O insulto em política, dizia Lênin e repetem os maoístas, é fraqueza de argumentos, debilidade.
        O tripé de FHC que Lula manteve: superávit primário, câmbio flutuante, metas de inflação.

      • Questões Relevantes
        05/08/2017

        Lúcio, sem este tripé, o PT quebrou o Brasil e Chávez quebrou a Venezuela.

      • Lúcio Júnior Espírito Santo
        05/08/2017

        O tripé e tb responsável pela quebra pois implica em garantir recursos para o rentismo.

      • Questões Relevantes
        05/08/2017

        Lúcio, você está enganado.
        Responsabilidade fiscal leva a pagar as dívidas e a não precisar endividar-se novamente, além de reduzir expressivamente a taxa de juros.
        Os rentistas acabam perdendo a boquinha.

      • Aluizio Alves Filho Alves
        05/09/2017

        Questões Relevantes 1.Seu texto principia por um estereótipo ao atribui ser hábito da esquerda acusar os outros de seus próprios pecados. O estereótipo segundo Walter Lippman, jornalista norte-americano que em meados do século passado criou este conceito hoje usual no linguajar das ciências sociais, refere-se a maneira com alguém expressa seus preconceitos contra raça, nacionalidade ou grupo determinado. Ora, o que você me atribui é um típico estereótipo, pois não é hábito, primazia ou algo inerente à esquerda (nem a direita) acusar os outros de seus próprios pecados.

        2. Em seguida você deixa claro o quanto é pretencioso quando afirma que desmontou meus argumentos. Quais? Suas observações estruturalmente sobre a Venezuela envolvem tanto o governo Maduro quanto Chavez, apresentando-os igualmente como ditaduras. O presidente norte-americano Jimy Cartes elogia diversas vezes as eleições e a democracia na Venezuela sob a égide do bolivarianismo. E cá para nós, entre o Jimy Carter e os seus arroubos banhados em ódio é claro que fico com o democrata presidente norte-americano.

        3. Você mesmo deixa desnuda a sua fragilidade metodológica ao escrever que opõe aos meus argumentos “fatos incontestes”. Francamente, você está estacionado num tosco empirismo defasado de mais de século, pois ainda acredita que há uma verdade absoluta que está encravada nos fatos e que estes são incontestes. Por favor leia Gaston Bachelar, vai estudar, entre muitos outros, Max Weber, para vê se entende a diferença metodológica básica ente produzir conhecimentos nas ciência naturais (onde o método é explicativo) e nas ciências da cultura (onde o método é compreensivo).

        4. Você acha inacreditável que eu tenha feito doutorado? Sabe por quê? Não porque sua argumentação se apoie em algum argumento que encontre respaldo no campo intelectual (vide Pierre Bourdieu), mas porque você é apenas um blefador que usa a técnicas rasteiras do tipo fascista baseadas na violência, agressividade, xingamentos e coisas do gênero. Vale-se porcarias de baixo nível jogando para a plateia ingênua na tentativa de desqualificar o outro, desrespeitando-o e atacando- inclusive enquanto dignidade e pessoa. Já vi você nestas questões altamente não relevantes, mas manipulativas, fazendo estes tipos de ataques a pessoas do porte de Saramago, Chico Buarque e Losurdo, entre muitos outros.

        5. Seu texto termina mais uma vez expondo a sua técnica totalitária presente em tudo que escreve (que nada tem a ver com liberalismo, diga-se de passagem) onde além de se valer de xingamentos e de desqualificações do outro inclusive como ser humano deixa claro como você é pretencioso é invejoso. Não tenho culpa se você não tem qualificação acadêmica. Sobre a minha, que você de forma tão mesquinha tenta desqualificar, informo que fiz graduação, mestrado e doutorado em renomadas instituições de ensino e pesquisa (e não na mesma), a saber: UFF, UFRJ, UnB e FlACSO. Minha tese de doutorado foi aprovada com distinção.

        Uma vez que você – com a sapiência que possui – escreve que acha inacreditável que eu tenha feito doutorado posso lhe fornecer a relação dos 5 professores doutores que me examinaram a minha tese (tem mais de 500 páginas) e a aprovaram com louvou para que você escreva para eles e os questione, no sentido de que lhe explique – sabichão – por que me aprovaram concedendo o diploma de doutor.

        Observo que entrei para o serviço público (professor universitário) através de concurso público. Publiquei um bom número de artigos acadêmicos e jornalísticos, orientei e (ou) participei de dúzias de bancas de mestrado de doutorado. Entre outros tenho livro de pesquisa publicado com a chancela do CNPq e da Biblioteca Nacional como prêmio conquistado em concurso promovido por estas instituições. Também tenho entre outros textos literários, romance premiado pela Secretaria de Estado e Cultura do Paraná (1993) e livro de contos premiado em 1º lugar entre cerca de mil concorrentes (Grupo Editorial Scortecci – 2008). Na imprensa tenho diversos artigos publicados entre jornais da grande imprensa no Estado de São Paulo, o grande jornal liberal da família Mesquita. Mas você acha inacreditável que eu tenha doutorado e afirma que a minha redação é no máximo de um colegial incompleto. No mais quanto a sua escrita, não tenho como avaliar. Não conheço nenhum livro que publicou. O que vejo é post tipo “corta e cola”. Mas se, como amigo, posso te dar um conselho, sinceramente, diria o seguinte: estude, prepare-se para escrever, respeite quem pensa diferente de você, não se julgue um Deus, um sabe tudo, abandone técnicas fascistas e sobretudo, não seja invejoso e egoísta. No mais, procure um bom psicanalista…

      • Questões Relevantes
        05/09/2017

        Aluizio, pela primeira vez você apresenta um texto bem elaborado. Tivesse escrito assim desde o início não teria feito o comentário sobre a qualidade de sua escrita. Dito isto, ressalto que discordo de sua argumentação e tenho a impressão, mas posso estar errado, que não leu a íntegra do artigo. De qualquer maneira, quem ler este debate poderá observar o que afirmei na resposta anterior: você não aponta nenhum fato objetivo equivocado em meu artigo, não apresenta nenhum argumento que não seja a sua palavra. Inclusive, quando afirmou possuir farta documentação e se ofereceu para apresentá-la, aceitei a oferta. Mas ao invés da documentação, vieram mais palavras ancoradas exclusivamente em seu currículo.
        O máximo de argumentação ancorada em fatos que fez e repetiu agora é a afirmação de que Carter elogiou a democracia Venezuelana, fato que já esclareci na primeira vez em que apresentou este argumento: você parece confundir “qualidade da democracia” com “qualidade do sistema de votação”.
        Além disso, a avaliação da Fundação Carter é de 2006, quando elogiou o sistema de votação venezuelano por incluir duas formas de contagem, a eletrônica e o voto impresso, sem juízo de valor sobre o aparelhamento do judiciário, as perseguições à iniciativa privada, o estrangulamento econômico da imprensa não alinhada etc.
        Também é importante lembrar que a Human Rights Watch para as Américas, em 2008, já reconhecia a Venezuela como ditadura, e seu diretor, José Miguel Vivanco foi expulso do país em razão desta conclusão.
        Posteriormente a Fundação Carter se retirou da Venezuela, em 2015, em função da deterioração da segurança após a morte de Chávez.
        Como afirmei antes, contraponho às suas afirmações argumentos sólidos, palpáveis, verificáveis. Este empirismo pode lhe parecer pobre, mas entre os fatos e as fantasias, fico com os fatos.

      • Aluizio Alves Filho Alves
        05/10/2017

        A primeira qualidade para se produzir alguma coisa que preste é a humildade. A segunda afastar as pré-noções e adotar a dúvida como método. Agora, quem só tem certezas só é capaz de escrever besteiras.

      • Questões Relevantes
        05/10/2017

        Aluizio, novamente você enrolou. Nenhum argumento. Nenhum fato objetivo questionado.

      • Aluizio Alves Filho Alves
        05/10/2017

        Ou você parece tem mal entendimento do que escrevo ou age de má fé. É obvio que não estou questionando nenhum fato. Estou me referindo a cuidados metodológicos preliminares necessários para quem quer pesquisar alguma coisa seriamente. São cuidados básicos que você não toma. Não tem humildade nenhuma, se coloca como dono da verdade, parte de pré-noções ao invés de afastá-las e não se vale da dúvida cartesiana ao investigar o que quer que seja pois já tem a priori a resposta pronta.

      • Questões Relevantes
        05/10/2017

        Aluizio, estamos tendo aqui uma aula de dialética prestidigitadora: eu apresentei uma tese com diversos fatos comprováveis e você uma antítese que tinha como único elemento verificável a afirmação de que a Fundação Carter elogiava a democracia venezuelana. A síntese, obviamente, favoreceu minha tese. Então você substituiu sua antítese por argumentos que tentam desqualificar a mim para com isto desqualificar minha tese.
        O nome disso é argumento ad hominem e só encontra acolhida entre aqueles que desprezam a lógica e abraçam as paixões.
        Você me acusou de também fazer isto, mas observe que a ordem dos fatores altera o produto: eu analisei seu discurso, demarquei didaticamente os erros que cometeu e concluí que você era despreparado para este debate; já você não analisou nada do que afirmei, não apresentou um único argumento que pusesse em dúvida minhas afirmações e, na ausência de argumentos válidos, apresentou seu currículo e pediu o meu. Sua insistência na metodologia, neste caso, equivale a questionar a vitória de um corredor porque correu descalço.
        Como disse acima, tenho dó dos alunos de professores como você e o Igor Fuser.

      • Aluizio Alves Filho Alves
        05/10/2017

        Você não tem jeito, sempre se colocando na posição de dono da verdade, de superior a tudo e a todos, sempre querendo me corrigir – aliais como faz com todos que não concordam com o peixe podre que você quer enfia goela abaixo de quem, estudando, discorda de você. Na verdade você é admirável na arte da manipulação, na arte de xingar, desqualificar e ofender o outro.

      • Questões Relevantes
        05/10/2017

        Aluizio, mais argumento ad hominem e nenhum argumento que desminta meu artigo. Você não repara no tamanho do buraco que está cavando?

  6. Claudio Siqueira
    04/29/2017

    Socialismo populista? O socialismo não tem como ser populista, agora dizer Nacionalismo é mais coerente.

    • Questões Relevantes
      04/29/2017

      Quem batizou a criatura foi o Hugo Chávez, com seu “socialismo do século XXI, este populismo rombudo.

      • Claudio Siqueira
        04/29/2017

        Ele pode ter batizado, mas não se identifica nem na historia e nem no presente .Se realmente fosse socialismo na Venezuela, não teria uma classe dominante escondendo produtos de primeira necessidade do povo venezuelano, para criar a crise e derrubar o governo ___ Qualquer semelhança é mera coincidência com o Brasil, não é mesmo ?

      • Questões Relevantes
        04/29/2017

        Claudio, este não é um blog de neófitos ou desinformados. Também não aprecia este seu humor involuntário. Recomendo a você conhecer melhor o assunto que pretende comentar.

      • Rodrigo Peñaloza
        04/29/2017

        Agora a Venezuela se afundou, ela não é mais socialista?

        Ley Orgánica de Preciosd Justas, promulgada por Chávez e reeditada por Maduro: A intenção é o estabelecimento da ordem socialista, como o comprova o Título 1, artigo 3: “Artículo 3. Son fines de la presente Ley los siguientes: 1. La consolidación del orden económico socialista, consagrado en el Plan de la Patria. (…) 7. Proteger al pueblo contra las prácticas de acaparamiento, especulación, boicot, usura, desinformación y cualquier otra distorsión propia del modelo capitalista, que afecte el acceso a los bienes o servicios declarados o no de primera necesidad.”

        A lei dá ao Presidente total liberdade de expropriar, em nome da “coletividade”, qualquer estabelecimento comercial ou produtivo e ainda lhe dá a autoridade pra decidir o aumento ou diminuição da indenização sem qualquer prejuízo de outras leis. Isso significa que o Executivo (ou seja, Maduro), pode expropriar a propriedade privada produtiva e decidir que não deve haver indenização, a despeito do que diga qualquer outra lei do país quanto á propriedade privada. É o que diz o artigo 7 do Título 1: “El Ejecutivo Nacional puede iniciar el procedimiento expropiatorio cuando se hayan cometido ilícitos económicos y administrativos de acuerdo a lo establecido en el artículo 114 de la Constitución de la República Bolivariana de Venezuela y, cualquiera de los ilícitos administrativos previstos en la presente Ley. En todo caso, el Estado podrá adoptar medida de ocupación temporal e incautación de bienes mientras dure el procedimiento expropiatorio, la cual se materializará mediante la posesión inmediata, puesta en operatividad, administración y el aprovechamiento del establecimiento, local, bienes, instalaciones, transporte, distribución y servicios por parte del órgano o ente competente del Ejecutivo Nacional, a objeto de garantizar la disposición de dichos bienes y servicios por parte de la colectividad.(…) En los casos de expropiación, de acuerdo a lo previsto en este artículo, se podrá compensar y disminuir del monto de la indemnización lo correspondiente a multas, sanciones y daños causados, sin perjuicio de lo que establezcan otras leyes.”

        O artigo 12 é a prova cabal do estado de terror imposto aos produtores e comerciantes, que podem ter seus estabelecimentos “vistoriados” até mesmo por “denúncias”. Não é possível que existam pessoas que ainda pensem que o regime bolivariano seja democrático.

        “2. Practicar inspecciones de oficio o por denuncias, a los inmuebles destinados a la producción, importación, distribución, comercialización, almacenamiento, acopio, recintos aduanales o depósito de bienes propiedad de los sujetos de aplicación, así como en los destinados a la prestación de servicios.”

        O artigo 32 é o cúmulo do desconhecimento das leis mais primárias da Economia e da espontaneidade do mercado. O governo estabelece até o mark-up máximo de 30% e sempre segundo as recomendações dos Ministérios do Poder Popular.

        “Artículo 32. El margen máximo de ganancia será establecido anualmente, atendiendo criterios científicos, por la SUNDDE, tomando en consideración las recomendaciones emanadas de los Ministerios del Poder Popular con competencia en las materias de Comercio, Industrias y Finanzas. En ningún caso, el margen de ganancia de cada actor de la cadena de comercialización excederá de treinta (30) puntos porcentuales de la estructura de costos del bien o servicio. La SUNDDE podrá determinar márgenes máximos de ganancia por sector, rubro, espacio geográfico, canal de comercialización, actividad económica o cualquier otro concepto que considere, sin que estos superen los máximos establecidos en el presente artículo.”

        Todos esses comentários eu reproduzi de um post sobre a Venezuela, em que anexei um arquivo com a Ley Orgániza de Precios Justos. Venezuela é socialista sim. Socialismo é isso: propriedade coletiva dos meios de produção. Isso pode ser implementado de diversas formas, a mais comum sendo a apropriação direta pelo Estado ou a ingerência do Estado nas decisões de produção. Isso é o que ocorreu na Venezuela. A classe dominante “escondendo o produto pra derrubar o governo” é a forma retórica como os socialistas descrevem a reação elementar do mercado, ou seja, do ser humano, quando o estado faz o que o socialismo prescreve. Quem acha que no socialismo as pessoas concordam unanimemente com a propriedade coletiva simplesmente não entende nem economia e muito menos a natureza humana. Socialismo implica em tratar as pessoas na sociedade como uma entidade apática que faz o que a doutrina prescreve.

        http://migre.me/wwYiv

      • Questões Relevantes
        04/29/2017

        Rodrigo, muito obrigado pela participação tão didática.

      • Claudio Siqueira
        04/30/2017

        Paulo Falcão, me desculpe se estou sendo humorista, não é essa minha intenção, mas levando em consideração os comentários acerca do regime Bolivarianista creio que os humoristas são vçs .Comunismo ou socialismo é uma condição que jamais fora implantada em qualquer lugar do mundo. As revoluções seguidas na URSS, leste europeu, não foram levadas adiante por conta de Stálin. A China adotou o estado socialista de mercado ou capitalismo de estado.Portanto percebe-se que as condições dos trabalhadores chineses é de total escravidão. Quem legitimou o poder de Hugo Chaves na Venezuela foi o voto das massas e democraticamente, não foi uma revolução.

      • Questões Relevantes
        04/30/2017

        Claudio, conheço esta sua ladainha, mas como o artigo lembra, eleições não são sinônimo de democracia, são uma das condições necessárias. Seu comentário me lembrou este artigo em que esquerdistas famosos também tentam negar a natureza totalitária e sangrenta do socialismo:
        A ESQUERDA E OS CAMINHOS QUE SE BIFURCAM
        http://wp.me/p4alqY-4D

      • Davi Piangers
        04/30/2017

        A condição precípua do socialismo é os meios de produção nas mãos do estado. Os comentários do Professor Rodrigo deixaram claro o domínio estatal dos meios de produção na Venezuela. Não há o que discutir a esse respeito, a menos que se fuja do rigor conceitual.

      • Claudio Siqueira
        04/30/2017

        Paulo Falcão, toda luta, todas as guerras, todas revoluções são sangrentas. As ideologias politicas não são possuem conteudos fixos ao longo do tempo, pois elas se moldam, adaptam-se às realidades e sofrem redefinições,movem -se. É o caso da “social – democracia” que se uniu ao liberalismo, mas evoluiu de um processo revolucionário no final do seculo 19.

      • Questões Relevantes
        04/30/2017

        Claudio, esta é a primeira coisa sensata que você disse neste debate, apesar de que aparentemente temos uma compreensão diferente destas palavras. Esta discussão é tema de diversos artigos do blog. Talvez o que melhor explique meu ponto de vista seja este:
        LIBERDADE, DEMOCRACIA E MARXISMO: ESTRANHO FETICHE.
        http://wp.me/p4alqY-1a

  7. Jornal do Siúves
    04/29/2017

    Meu deus, e pensar que esse trololó bolorento tem uma torcida maior que a do Flamengo!

    • Questões Relevantes
      04/29/2017

      Definiu bem: torcida. É o cérebro substituído pelas paixões.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: