questões relevantes

espaço para debate de ideias sobre a cultura e a civilização

A MATEMÁTICA, O SEXO E O FILHO SEM PAI.

canhoto647x388

Os exemplos são muitos e se repetem diariamente. Pode escolher o meio: redes sociais, jornalões, blogs, conversa de botequim…sempre tem alguém da Esquerda espancando a matemática, a economia e/ou a responsabilidade fiscal.

É verdade que nem toda a esquerda embarca nesta canoa furada. Pessoas como César Benjamim, por exemplo, vão na contramão deste discurso – e apanham da esquerda por isso….

Já tratei do conflito entre a ideologia e a matemática em diversos artigos do blog e sempre aparecem pessoas de boa formação para criticá-los. Que ignorantes façam certas críticas é compreensível. Mas mestrandos, mestres e doutores que não conseguem compreender a relação de causa e efeito entre a irresponsabilidade fiscal de Dilma e a crise econômica em que o Brasil mergulhou, é estranho. Há centenas de artigos explicando esta relação e outras centenas alertando sobre o que aconteceria. No entanto, para quem não aceita a relação de causa e efeito entre sexo e parto, o filho sempre nasce sem pai.

Agora, no portal O Implicante, encontrei o artigo abaixo, de Cadê Silva, que também questiona a incompatibilidade geral da esquerda com a matemática, mas o faz de maneira mais ampla.

Segue o artigo.

_______________________________________

 

Os fracassos da esquerda se explicam pelo seu horror à Matemática

Por Cadê Silva n´O Implicante.

 

Uma característica quase universal de nossos intelectuais de esquerda é seu horror à matemática. Sabemos que “esquerda” e “povo de Humanas” são praticamente sinônimos no Brasil, já que as escolas e universidades têm Partido. Também sabemos que esses esquerdistas, vez ou outra, fazem piada de si mesmos com seu horror à matemática (“miga, não sei fazer conta, sou de Humanas”).

Não é difícil entender essa rejeição. A matemática oferece respostas claras, cristalinas, inegociáveis e independentes de contexto cultural. É o exato oposto da esquerda intelectual, que cultiva um vocabulário pedante, vive de “relativizações” e acredita na verdade absoluta de que não existem verdades absolutas, e sim diferentes “verdades”, “estéticas” e “narrativas” (salvo, é claro, a verdade absoluta de que o adversário é racista, machista, xenofóbico, homofóbico, etc. etc.).

O artigo Hábitos das pessoas altamente matemáticas, de Jeremy Kun, ajuda a entender que as habilidades praticadas na matemática têm enorme valor prático fora dela. A matemática nos ensina a:

  1. Discutir definições
    2. Produzir contra-exemplos
    3. Errar com frequência e admitir
    4. Avaliar várias consequências possíveis de uma afirmação
    5. Desembaraçar as premissas que sustentam um argumento
    6. Subir a escada da abstração

Com esta lista fica fácil concluir o seguinte: o horror à matemática é na verdade um horror aos fatos. Vamos retomar a lista acima com alguns exemplos de burradas recentes da esquerda brasileira.

  1. Discutir definições – você conhece algum peteba capaz de definir o que ele entende por “elites”? Ele jamais poderia fazê-lo, porque seria difícil excluir dela gente como Marilena Chaui, Gregorio Duvivier, Chico Buarque e Gleisi Hoffman. O mesmo vale para todas as palavras ditas com o fígado, como “golpe” – se Dilma foi golpeada, Collor também foi? Naturalmente, sem definir claramente seus conceitos você não pode enxergar a realidade direito; no máximo pode agir para transformá-la sem entender o que está fazendo, o que é precisamente a natureza da invasão de escolas e de toda ação revolucionária.
  2. Produzir contra-exemplos – pergunte a um esquerdista o seguinte: se fosse um grupo de pessoas vestindo a camisa da Seleção invadindo e ocupando escolas em nome de uma causa de direita (digamos, a redução da maioridade penal), ele ainda apoiaria as invasões? Um peteba sequer consegue conceber este cenário, e por isso não se pode dizer que avaliou a ideia plenamente antes de decidir se “concorda”. O mesmo vale para a brilhante tese: “se Cunha for preso, é bandido e, portanto, o impeachment foi golpe; se Cunha não for preso, é porque ele fez o impeachment para se salvar e portanto foi golpe”.
  3. Errar com frequência e admitir – em matemática a gente erra bastante até acertar, e às vezes não acertamos. Mas um peteba não erra nunca, e por isso repete suas teses sempre. Exemplo: até meados deste ano, petebas clamavam por “eleições diretas”. Como o povo espancou o PT nas eleições municipais, conclui-se que o povo está errado, mas não a tese do “volta Lula”. Ou ainda: os partidos que insistiram na “narrativa” do “golpe” foram massacrados nas urnas, já que o impeachment teve enorme apoio popular. O que os esquerdistas propõem? Mais radicalização e uma nova “guinada à esquerda”. O PT não monopoliza a cabeça-dura, claro. O senador Aécio Neves, por exemplo, achou que poderia eleger João Leite da mesma forma que não elegeu Pimenta da Veiga…
  4. Avaliar várias consequências possíveis de uma afirmação – este é certamente o hábito menos praticado pelos intelectuais que dominam as colunas de opinião e as seções de comentários no rádio e na TV. Para alguns exemplos, vejaSete vexames que a imprensa passou em 2016 por tratar os próprios desejos como fatos. Notem o seguinte: desmoralizados repetidas vezes pelos acontecimentos, os mesmos “especialistas” de sempre continuam falando nos jornais e TVs como se nada tivesse acontecido…

 

  1. Desembaraçar as premissas que sustentam um argumento – outro hábito sempre ignorado pelo “povo de Humanas”. A cada eleição perdida pelo PT em São Paulo, por exemplo, sai a tese “o eleitor paulistano é muito conservador”. Lembro disso ter ocorrido já em 2008, na vitória de Kassab. O engraçado é que nunca ocorre ao intelectual a ideia de que o eleitorado é praticamente o mesmo e pouco muda em quatro anos. A cidade que elegeu Doria é a mesma que elegeu Haddad. O Estado que elegeu Serra para o Senado é o mesmo que manteve Suplicy por lá durante 24 anos. Conservador onde?
  2. Subir a escada da abstração – até que os esquerdistas não são ruins de abstração. Só que em vez de usar o que aprenderam em um campo para resolver problemas análogos em outras áreas, eles usam as mesmas palavras-de-ordem – “opressão”, “desigualdade”, etc. para absolutamente tudo, desprezando qualquer necessidade de enxergar melhor o objeto de cada questão. O resultado mais claro disso é viver na própria cabeça, no confronto puramente de ideias, e ignorar a realidade. Um exemplo: Haddad e as ciclovias. Como Haddad é da turma do bem e as ciclofaixas são uma boa “causa”, tudo “a favor” das ciclovias é bom e ponto final. A implementação da ideia na prática não importa: se as ciclovias estão sob calçadas estreitas, se as calçadas estão em mau estado, se foram dispostas em ruas perigosas, etc. A ideia basta por si, e é ridículo – na verdade, inconcebível – que alguém possa ser ao mesmo tempo favorável à ideia mas crítico de sua execução. Outro exemplo: a ideia absurda (mas que eu já li) de que o “projeto” de Haddad foi rejeitado nas urnas. Qualquer pessoa razoável entende que o paulistano aprovou sim o projeto de Haddad – em 2012, quando o prefeito passou na entrevista de emprego e recebeu uma chance. Em 2016, esse mesmo povo rejeitou a execução, não o projeto. Mas isso é “abstrato” demais para nossos intelectuais de esquerda, e por isso eles seguem condenados a repetir os mesmos erros.

Não fiz na carreira na área, mas tenho gostado cada vez mais de matemática. Recomendo o curso online Effective Thinking Through Mathematics, que acabo de concluir. O amor à matemática é amor à verdade. E vocês conhecem a frase: a verdade nos libertará….

 

____________________

 

Link para o original AQUI.

 

Anúncios

26 comentários em “A MATEMÁTICA, O SEXO E O FILHO SEM PAI.

  1. lucemiro1405
    11/17/2016

    Paulo: vc tem certeza que concorda com Cesar Benjamin???? Vc está de parabéns ao tolerar comentários como esse acima.

    Leia aqui um artigo onde ele define muito bem o que vc por vezes faz, ao rotular, por exemplo, a esquerda de humanista antimatemática.

    O único problema sério que vejo, Paulo, é que vc tende a comprar todo o pacote da direita. Eu, ao contrário, prefiro concordar com umas coisas sim, outras não; concordo com impeachment, mas não com a política do governo Temer.

    A arte de rotular

    Lula, o livre comércio e a unidade dos indiscerníveis

    por César Benjamin [*]
    A forma predominante de dominação ideológica não é mais o ocultamento dos fatos, um estratagema bastante primitivo, usado pelas ditaduras. Hoje, a dominação se faz muito mais pela capacidade de nomear. Mário de Andrade dizia: “As pessoas não pensam as coisas, elas pensam os rótulos.” Tinha razão. Boa parte do jornalismo econômico contemporâneo, por exemplo, tornou-se uma grosseira arte de rotular.

    À lei que define que os recursos públicos devem ser prioritariamente usados para pagar juros ao sistema financeiro, em detrimento de todos os demais gastos do Estado, rotula-se “lei de responsabilidade fiscal”. À prática de cortar gastos essenciais, para sustentar esses mesmos pagamentos, rotula-se “disciplina” ou “austeridade”, necessárias para formar um “superávit” metafísico (denominado, espertamente, “superávit primário”). Ao desmonte dos mecanismos de defesa de uma economia periférica e frágil rotula-se “abertura”. Aos efeitos do desvio de finalidade das contribuições sociais – recolhidas pelo Estado, conforme a Constituição, para financiar o sistema de Seguridade Social – rotula-se “déficit da Previdência”.

    http://resistir.info/brasil/arte_de_rotular.html

    • Questões Relevantes
      11/17/2016

      Lúcio, admiro a inteligência e a clareza do Cesar Benjamim, mas não concordo sempre com ele. No blog republiquei dois artigos dele em que deixo isto claro.
      Na recente eleição do Rio, por exemplo, no segundo turno escrevi um artigo dizendo que as duas opções eram desastrosas, mas que o Crivella era menos desastroso. Ele escreveu um artigo dizendo que os dois eram bons candidatos, seus amigos e não manifestou preferência.
      No artigo que você reproduziu acima ele “dá nome aos bois” mas não renega a importância da responsabilidade fiscal. Há inclusive um debate no Banco Central (disponível no Youtube) já em 2016 em que ele é um dos participantes e onde faz uma longa exposição. Em nenhum momento nega a necessidade de responsabilidade fiscal.
      De qualquer maneira, obrigado pela contribuição.

  2. Lisiong Lee
    11/16/2016

    Gostaria de tecer alguns comentários. As respostas passam por dois campos de conhecimento: psicologia de gregários e economia.

    A questão mental é que normalmente uma pessoa, depois de um “mind set”, já são por natureza mental, uma pessoa altamente “oppionated”, com “opiniões seguras”, “se não pensa como eu está errado”. Estas pessoas só acreditam naquilo que concorda com o que pensa. Não adianta argumentar com lógica, pois uma argumentação lógica obriga a pessoa recipiente da mensagem a aceitar NOVAS PREMISSAS (novas hipóteses, novos contextos, novos conceitos). E pessoas com opiniões “firmes” jamais aceitam que estão errados. Assim, já começa errado. Uma pessoa imparcial sempre aceita uma discussão lógica, pois tem inteligência suficiente para sber que não sabe o suficiente. Os “hard nosed” por definição, sabem que estão sempre certos, o resto do mundo é que está errado. Acreditam em FÉ, tem “gurus” de onde absorvem as palavras babando, como “gospel”, cavado em pedra eterna. Se insistir, só vai conseguir vociferação de slogans, ódio, isolamento. Desisti faz tempo, tento ser educado e lógico e jogam pedras.

    Quanto á parte técnica, não é muito fácil mostrar conceitos macroeconômicos para uma população que em média tem MEDO DE MATEMATICA, quanto mais de equações matriciais. Este ano, escrevi um longo documento com mais de 7 páginas, para meu grupo do ITA. Deviam entender um pouquinho da matemática econômica, certo? Ah, ah, ah….só DOIS entenderam, o resto….sem contar que alguns eram meio “radicais” e contestaram tudo dizendo que “sempre tem dinheiro do governos”. E vá tentar explicar legislação tributária, teoria de estado, custo de suporte social, LOA, execução orçamentária, contas (contábeis) nacionais….um deles JURA que na época de lula;dilma era melhor porque o gás (GLP) estava a 45 reais e agora está em coisa de 70…Descontando a inflação, agora está o mesmo preço ou até menor que há uns 8 anos atrás. Contraargumentei que na época de FHC (que ele jura que é o demonio em pessoa, que só massacrou, que só “vendeu o Brasil de graça) o bujão de GLP custava…11,45 reais, MENOR que 45,00 portanto ERA MELHOR pelo MESMO CRITERIO dele. Acha que consegui argumentar lógicamente? Vai esperando na próxima encarnação. Outro “idealista” argumentou que PIB e Renda de brasileiro MELHOROU durante governo petista. Eu CORRIGI os valores nominais pela inflação e surpresa!!! Ficou práticamente constante. Aí dei o “ipon” final: PROVEI que o “aumento” aparente de renda (na verdade aumento de consumo desenfreado) foi totalmente coberto porque a DÍVIDA de consumidos aumentou de algo como 25% do PIB para quase 50% do PIB. Portanto, o PIB não aumentou, o financiamento da “nova classe média” é que permitu um CONSUMO que aumentou o PIB em uma proporção INFERIOR ao aumento da dívida. Sabe que pela metodologia adotada pelo IBGE (corretamente, diga-se de passagem) para calculo do PIB brasileiro, se o brasileiro DOBRA o CONSUMO, o PIB quase que DOBRA?????? A metodolgoai está correta, e NÃO inclui o endividamente pessoal do consumdior.

    Por último, se você, que sustenta a casa, toma um EMPRESTIMO do banco, e passa alguns meses gastando o DOBRO do NORMAL, sua família vai achar que voce DOBROU O SALARIO.. (pensam que seu PIB PESSOAL DOBROU). No entanto, agora você está devendo seu salário, seu décimo terceiro, sua alma, suas roupas de baixo, e ainda deve os juros…Deu para entender como o aumento BRUTAL do endividamento de pessoas físicas e de empresas (via estímulo para pegar dinheiro emprestado para aumentar empresa porque acreditavam que a economia ia sempre crescer), é que permitiu um “aumento” do PIB. E tudo DENTRO das normas técnicas… Por isso, Marcia Eler, quando uma pessoa pede um “artigo simples” para entender a economia, é como pedir para um médico de 30 anos de experiencia recomenar um “livrinho simples para aprender endocrinologia”….(escolhi endócrino porque é extremamente complexo e tem atuação sistêmica, não histológica). Depois de 35 anos praticando economia, ainda fico perplexo toda semana com novos conceitos…Mas esses dois exemplos que dei, sobre “preços aparentes” e sobre “PIB que não é PIB) ajudem a pensar PORQUE estamos no buraco agora. Como país, tomamos muito dinheiro emprestado. Mas este dinheiro emprestado não veio de acumulação de capital bruto, mas de alavancagem financeira. Vejam alguma “teoria de moeda” e vão ficar apavorados como “moeda” não é lastreado em anda exceto em confiança absoluta no sistema e nos livros contáveis. Por isso é que um banco com um ativo de 1 milhão (de depositantes físicos) consegue alavancar (moviemntar) uns 10 mihões em empréstimos ou investimentos, tudo dentro das normas do Banco Central, que estipula até que ponto uma alvancagem financeira de um banco ainda é saudavel. E no Brasil, (Graças a DEUS) o Banco Central até que estabelece limites bem razoáveis, senão teríamos já entrado em uma crise tipo “subprime” como a americana. Ufa, cansei!!!

    • Questões Relevantes
      11/16/2016

      Obrigado pala rica contribuição.

  3. Eurico Silva
    11/15/2016

    Gostaria que me passassem estes artigos que explicam tal fenômeno.

    • Questões Relevantes
      11/15/2016

      Você poderá encontrar vários nas áreas de busca de jornais como Estadão, Folha, o Globo, Valor econômico, além de blogs de economistas ligados a empresas de consultoria.

      Este é um ponto importante: os economistas que defenderam e defendem a irresponsabilidade fiscal de Dilma são, quase todos, professores universitários ou jornalistas, ou seja, não acontece nada a eles se estiverem errados.

      Já os que alertaram sobre as consequências são aqueles cujas opiniões norteiam investimentos privados, ou seja, vivem da confiabilidade de suas opiniões. A diferença não é pequena.

      • Eurico Silva
        11/15/2016

        Ufa, tava preocupado. Pensei realmente que vc tinha referência de alguma revista de sociológica ou economia. Mas, teu referencial é o PIG. Boa sorte!

      • Questões Relevantes
        11/15/2016

        Eurico, quem se refere à imprensa como PIG ofende a si próprio. Trata-se de cacoete de quem não tem o hábito do raciocínio, da lógica. Aliás, faz exatamente o que o artigo diz: espanca a lógica, pois não consegue segui-la.

        Nos jornais que citei, em nome da pluralidade, você encontrará artigos defendendo e atacando decisões econômicas de Dilma e Lula. Quando foram publicadas, eram opiniões cuja assertividade não se podia avaliar. Hoje, permitem. O tempo nos revela quem tinha razão.

        No seu caso, fica clara a preguiça e o receio de comprovar os equívocos de quem defendeu o modelo temerário iniciado por Lula em 2008 e acelerado por Dilma. Sei que é triste, mas são os fatos.

        Aliás, eu que nem sou economista mas me interesso pelo assunto, escrevi o seguinte em um artigo publicado 4 dias após a reeleição de Dilma:

        “Se Dilma abandonar a cartilha do PT e colocar gente que o mercado reconheça como competente à frente da economia, tudo vai se acalmar. Se insistir nos imodestos companheiros e neste script para o desastre, a vida dos brasileiros será cada vez mais um inferno. O demônio da economia não aceita desaforos por muito tempo”.

        Não deu outra.

    • Eurico Silva
      11/16/2016

      Não entregou o que prometeu!

      • Questões Relevantes
        11/16/2016

        Você se recorda de Sinara Polycarpo? Sabe quem é? É aquela analista que enviou a alguns investidores do Santander previsões do que seria a economia brasileira com a reeleição de Dilma. Foi demitida por pressão do planalto, mas acertou 100% do que previu. Não foi a única. Só economistas que não vivem de economia defendem a tragédia econômica que foi o governo Dilma.

      • Aderito Baptista
        11/17/2016

        Olha, eu sou leigo no assunto, mas me lembro perfeitamente deste caso e foi assim mesmo como o Questoes Relevantes mostrou no seu argumento. E também não adianta desqualificar a Sinara, pois ela ACERTARA nas suas previsoes e quanto a não poder fazer previsoes econômicas levando-se em consideraçao o tipo de gestão que é empregada, até eu que nao sou economista sei que é possivel sim saber quando alguém vai levar alguma administração para o buraco.

  4. Fred Costa
    11/15/2016

    O golpista que os questão relevante apoiou vive manipulando a opinião com desculpas. Está a seis meses no governo e o desemprego foi a 12%, o PIB caiu 3%, a Petrobrás teve um prejuízo de 16 bilhões só neste último trimestre, a inflação está em quase 8%, o comércio caiu 6%, a venda e produção de automóveis caiu 17%, e os filhas da putas que lutaram por tudo isso com um golpe de Estado insistem em manipular a opinião pública de que Temer safado e seus ministros bandidos não tem nada haver com isso.

    • Questões Relevantes
      11/15/2016

      Fred, você certamente é um exemplo daqueles que não reconhecem a relação de causa e efeito entre o sexo e o parto. Obrigado por ilustrar o artigo com um exemplo vivo e saltitante.

      • Fred Costa
        11/15/2016

        Vou te dar um exemple saltitante de burrice do “questões relevantes” (SIC). Criticam uma presidente que queria aprovar um déficit de 96 bi no Congresso e agora os burros ignoram que o Temer aprovou um déficit de 170 bi, e mesmo assim encaminha para estourar esta meta. Você são os quadrúpedes que procuram ansiosamente o cabresto.

    • Questões Relevantes
      11/15/2016

      Não Fred Costa, eu não ignoro, mas você ignora que o déficit de Dilma não era de 96 bi, mas de 170 bi. Os esqueletos estavam todos escondidos. Ignora que este buraco foi cavado desde 2008. Ignora que muitos economistas e outros não economistas avisaram. Ignora que os avisos ficaram ainda mais intensos quando Dilma começou a sua política ciclotímica de desonerações. Temer não é flor que se cheire, era parceiro desta irresponsabilidade até outro dia, mas era a ÚNICA alternativa legal à Dilma. A PEC 241 é uma tentativa de diluir em 20 anos um ajuste que, se não for feito de forma planejada, terá que ser feito “à vista” quando o governo perder a capacidade de se financiar. Sei que não adianta lhe explicar isso que já foi explicado tantas vezes, mas talvez seja útil para quem ainda não caiu nesta teia de desinformação e ignorância tecida pelo PT e pela esquerda.

      • Fred Costa
        11/15/2016

        O déficit era sim de 96 bi. Acontece que neste déficit não estava o preço da compra de votos no Congresso para o golpe, o aumento autorizado pelo marginal apos o golpe apoiado pelo congresso dado ao judiciário para que o golpe fosse concretizado, o aumento de 90% do valor pago para a globo é demais mídia golpista etc. Vocês não são enganados e sim tentam enganar os outros.

        Antes do questões relevantes(SIC) apoiar o Cunha e PSDB e as pautas bombas no Congresso para alimentar o déficit e forçar a instabilidade para o golpe o Brasil caminhava para superar a crise, como ocorreu em 2008. O questões irrelevantes esquece que até julho de 2014, quando não tinha a pauta bomba do Cunha e PSDB a taxa de desemprego era de 4,5%.

    • Questões Relevantes
      11/15/2016

      Fred, fica claro que você é um militante habituado a utilizar a mentira como método. Lhe é algo tão natural que nem se preocupa com as aparências.

      Por exemplo, você me acusa de apoiar o Cunha. Use este nome do campo de busca do blog e veja se encontra algum artigo defendendo o Cunha, algum parágrafo, alguma frase…

      Esta conversa mole de rombo para financiar o golpe é de corar até petistas menos dedicados à causa. Mais uma vez agradeço sua ilustrativa participação.

      • Fred Costa
        11/16/2016

        Fica claro que vocês não querem debater os problemas do país. É um site fascista com o mesmo método da globo que quer debater economia, escondendo os dados econômicos como inflação de 8%, queda do PIB de 3%, déficit público que está estourando os 170 bi, dívida pública só aumentando, arrecadação de impostos despencando, desemprego em 12%, etc. Continue com seu método nazista de esconder todos os dados negativos de um governo que já tem 6 meses e que usa inocentes úteis para transferir a terceiros a crise econômica e o golpe que está na cara de todos.

      • Questões Relevantes
        11/16/2016

        Fred, cada novo comentário seu é um novo exemplo dos problemas que o artigo relaciona como crônicos na esquerda. Continue com suas mentiras, seus adjetivos e sua contabilidade criativa.

      • Fred Costa
        11/16/2016

        Contabilidade criativa ê o que faz essa bosta de “questões relevantes para alienar otários para livrar a cara do corrupto e incompetente Temer que vai levar o Brasil para ser considerada a Republiqueta das bananas em que os imbecis querem falar de economia e esconde todos os índices econômicos.

      • Questões Relevantes
        11/16/2016

        Fred, você nos brinda com mais uma perola da falta de lógica, mais um exemplo de quem não entende a relação entre o sexo e o parto. A economia não muda da noite para o dia. O que está acontecendo não é consequência dos seis meses de governo Temer, mas dos 5 anos de Dilma e mais 2 de Lula rasgando a responsabilidade fiscal. Assim como levou um tempo para o desastre se manifestar, levará um tempo para a melhora aparecer, mas vai depender de ajustes reais, como a aprovação da PEC 241 (que virou PEC 55).

  5. Othon Vale
    11/15/2016

    Meu caro amigo ,infelizmente não adianta explicar tim tim por tim tim, a síndrome da cegueira emocional partidária parece que não tem cura…como diz o ditado “o pior cego é o que não quer ver”

    • Questões Relevantes
      11/15/2016

      A ideologia é uma droga poderosa. Afeta principalmente o bom-senso e a capacidade de analisar a realidade.

  6. Fernanda Farinha Ayres
    11/15/2016

    Pior são uns vídeos que culpam a Lava Jato pela crise econômica…Totalmente surreal.

    • Questões Relevantes
      11/15/2016

      Não sei se é pior. Neste caso é apenas má-fé. Na questão da matemática e da responsabilidade fiscal soma-se ao grupo da má-fé o grupo do realismo mágico e da dissociação cognitiva.

      • Renato souza
        11/17/2016

        Fred nos deu um excelente exemplo concreto de sobre o que o seu artigo fala.
        Parabéns Pelo artigo Questões Relevante
        Fred, muito grato pela participação, excelente exemplo prático para meus filhos adolescentes.
        Lisiong Lee obrigado pelo esclarecimento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: