questões relevantes

espaço para debate de ideias sobre a cultura e a civilização

A POLÍTICA DO CONFRONTO E OUTROS EQUÍVOCOS.

Quando a razão tira férias, dá merda.

Quando a razão tira férias, dá merda.

Pensei muito se deveria escrever este artigo, não por receio de tomar posição contrária à da esmagadora maioria, mas porquê falta racionalidade ao se abordar o assunto. E quando falta racionalidade, de que adiantam bons argumentos?

Com a persistência da onda de choque invadindo minha paciência, resolvi que valia à pena tecer alguns comentários. Quem sabe encontro outros que concordem comigo. Quem sabe ajudo alguém a deixar o território da retórica irracional e adentrar ao território da razão.

Vamos lá.

É evidente que professores merecem todo respeito e merecem ganhar mais. No entanto, veja só que curioso, os professores do Paraná tiveram um reajuste de 60% nos salários durante a administração de Beto Richa frente a uma inflação de 25% no período.

Este fato ressalta justamente a maior crítica que se pode fazer ao governador Beto Richa: ter sido generoso demais, não só com os professores. Em seu primeiro governo, concedeu reajustes salariais muito acima da inflação para diversas categorias. De certa maneira, cometeu o mesmo erro de Lula e Dilma que criaram despesas acreditando em receitas eternamente crescentes. Deu errado, claro, no Brasil e no Paraná.

Como lembrei em outro artigo, na discussão entre a ideologia e a matemática, a segunda sempre prova ter razão.

E vem a conta. E vem a necessidade de ajustes. E vem choro e ranger de dentes, no Paraná, no Brasil e em qualquer lugar em que se imaginou existir almoço grátis.

O conflito no Centro Cívico de Curitiba não foi causado pelo governador ou pelos soldados. As imagens são claras: a tropa fez uma linha de contenção estática e os manifestantes partiram para cima da polícia que estava ali cumprindo determinação judicial.

Quem iniciou o confronto foram os manifestantes. Eles queriam o confronto. Queriam o desgaste provocado pelo confronto. Quanto mais feridos, melhor. Como disse Gustavo Chacra sobre outro conflito, “aos extremistas não interessa quem morre, interessa quem é o algoz”. Não se trata de uma luta pela educação ou por aposentadorias, trata-se de uma disputa política do pior tipo.

Houve excessos? Que se apure e haja punição.

Uma análise racional precisa deixar de lado as preferências ideológicas e partidárias e focar nos fatos. A Polícia Militar foi posta diante de duas alternativas: ou deixar a Assembleia Legislativa ser invadida e depredada novamente, contrariando determinação judicial, ou conter a invasão. Não se esqueçam que em fevereiro o mesmo movimento sindical invadiu e depredou a Assembleia impedindo seu funcionamento até que as mensagens do governo fossem retiradas.

Novas ameaças levaram à ordem judicial exigindo da polícia que evitasse outra invasão e assegurasse o funcionamento da casa legislativa. Os professores, sob o comando da APP, liderados por aliados radicalizados, partiram para o confronto. O jornal Gazeta do Povo tem um vídeo fundamental, que mostra o crescimento da tensão e o momento zero do conflito.

Segue o link:

https://www.facebook.com/gazetadopovo/videos/vb.149698499571/10154146310039572/?type=2&theater

Vão dizer que até o governo paranaense admite o erro, a violência desnecessária etc. Isto é apenas cálculo político frente a uma cobertura da imprensa maciçamente simpática aos invasores.

Se o movimento quisesse apenas acompanhar a votação, poderia ter destacado um grupo e negociado isto. Não queriam. Queriam novamente impedir o funcionamento da assembleia.

Quem tiver curiosidade, pode observar como o ocorrido está em sintonia com as teses das alas mais radicais do PT e de ouros grupelhos de esquerda, como PSTU, PSOL, PCO etc que desprezam a democracia. Seguem abaixo dois links para artigos em que se pode observar como o que ocorreu em Curitiba está previsto nas teses de “intelectuais” da USP, que se pretendem a vanguarda do proletariado brasileiro, como Vladimir Safatle e Lincoln Secco:

O REACIONÁRIO E O LIBERTÁRIO: QUEM É QUEM?: http://goo.gl/mlU1W5

“COMPANHEIRO, VOU FAZER SUA AUTOCRÍTICA”: http://goo.gl/m1hzWv

Aviso sobre comentários:

Os comentários podem ser contra ou a favor, mas não devem conter agressões gratuitas, meros xingamentos, racismos e outras variantes que desqualificam qualquer debatedor. Fundamentem suas opiniões e sejam bem-vindos.

Anúncios

18 comentários em “A POLÍTICA DO CONFRONTO E OUTROS EQUÍVOCOS.

  1. lucio Jr
    05/09/2015

    Esse artigo foi uma vitória da matemática tucana contra a razão.

    • Questões Relevantes
      05/09/2015

      Lúcio, além do gracejo, você tem algum argumento?

      • lucemiro1405
        05/12/2015

        Será que adianta? Tudo se inverteu nesse artigo. O governador que privatiza a previdência e lesa os professores em nome do arrocho virou gastador e perdulário. Os professores não tiveram reajuste, não chora de barriga cheia? Então pq vc quer que ganhem mais? Os professores, sim, no seu entender foram brucutus e não a PM. Totalitários como a esquerda do PT e seus aliados do PSOL E PSTU, bem que mereceram as bombas democráticas….e por aí vai.

      • Questões Relevantes
        05/12/2015

        Lucemiro, atenha-se ao que o artigo diz e não à sua imaginação. O vídeo é claro quanto ao início do confronto ser causado pelos manifestantes. Disso não pode haver dúvida. Quanto ao resto, sobra em emoção o que lhe falta em racionalidade.

        Que fique claro: não defendo o Beto Richa, defendo apenas que a narrativa do episódio respeite os fatos.

      • Ferraro
        05/18/2015

        Lucemiro há um limite orçamentário. É óbvio que o governo do Paraná gastou mais do que devia do contrário ele não teria se metido nessa confusão. Há alguns anos o mesmo aconteceu no meu estado. E o mesmo aconteceu no governo federal. Sério, não é algo novo.

        É um truísmo dizer que professores precisam ganhar mais, mas isso simplesmente não é possível. Os governos não podem simplesmente aumentarem seus gastos para pagarem o quanto quiserem para quem quiserem. Precisa haver arrecadação para bancar os gastos e os impostos no Brasil já passaram do adequado para um país em desenvolvimento. Todos os governos do mundo enfrentam escassez e precisam fazer escolhas difíceis em relação aos seus gastos, mas para países de renda mediana como o Brasil a coisa é muito mais difícil porque todo mundo demanda tudo do bom e do melhor, mas não há o dinheiro. O país precisa crescer o seu PIB per capita para que a arrecadação per capita suba junto e um dia o professor brasileiro possa ser tão bem pago quanto o professor finlandês, mas no nosso estado atual tal coisa não é possível.

        Então a pergunta a se fazer é se houve um esforço por parte do governo do Paraná para aumentar os salários dos professores e aparentemente houve. O que mais você quer? Que o governador comece a roubar bancos para financiar a educação do estado?

        A violência policial é outra coisa.

  2. Ferraro
    05/09/2015

    Acho que a razão para a simpatia para com os professores é que primeiro que todo mundo acha que o professor brasileiro devia estar ganhando o mesmo que o professor finlandês, então qualquer salário menor do que um salário inicial de dez ou doze mil reais é muito pouco, o que não é um absurdo em si porque o Brasil possui um déficit educacional monstruoso que pode ser visto no fato de que o Brasil possui uma das menores médias de anos de estudo na América do Sul, e muita gente corretamente entende que educação é um dos caminhos que o Brasil pode usar para sair da armadilha do subdesenvolvimento, e segundo que dado tudo isso ver um professor, esse profissional que presta por muitas vezes um serviço heróico pelo menos em boa parte do Brasil, apanhar da polícia realmente indigna muita gente.

    Mas duas coisas aí…

    Um, é que se realmente houve tamanho aumento salarial na administração do atual governador então os professores ainda que permaneçam mal pagos precisam entender que houve um real esforço e foco do governo para corrigir esse problema. Entendendo a falta de recursos públicos para se fazer de tudo da melhor forma um aumento dessa magnitude deve ser visto como adequado, afinal o Brasil não possui o mesmo PIB per capita que a Finlândia, e, portanto nosso Estado não pode arrecadar a mesma quantidade de tributos per capita e assim investir a mesma quantidade de recursos por cidadão.

    Dois, em relação a reforma da previdência estadual, parece-me que o governo realmente precisava disso para não estourar todas as suas finanças, do contrário, ele não teria ido em frente mesmo perante toda essa confusão, mas o governo do Paraná sofre com a mesma coisa de todos os governos brasileiros que é a tendência de gastar demais sem pensar muito bem tanto no perfil do gasto, se é um gasto prioritário e inteligente que estará dando o maior retorno, quanto na sustentabilidade do gasto, daí os governos gastam e gastam e depois quando a conta chega precisam fazer ajustes pouco populares.

    Só que eu não entendo a greve como fabricação do PT, mas sim como uma natural reação dos professores. Toda categoria, toda facção quer o máximo para si, se a reforma na previdência diminuiu de alguma forma as rendas ou esperadas rendas dos professores, então a coisa se explica.

    Alguém aí comentou que a ordem social e o patrimônio público devem ser quebrados mesmo. Embora eu entenda o sentimento, a verdade é que nada disso levará a lugar nenhum. Quebrar a Assembléia vai fazer apenas o governo gastar dinheiro a concertando e arrumar briga com a polícia também não vai criar uma política educacional inteligente que valorize a carreira do professor em longo prazo.

    Sobre a ação policial. Eu tenho que confessar que para mim o Estado brasileiro (não estou me referindo a esse e aquele governo de um ou outro ente federativo) é sempre culpado até que se prove o contrário de bater em manifestantes pacíficos. Talvez seja uma posição injusta? Honestamente? Eu duvido. Não duvido que possa ter havido alguns manifestantes que foram para cima e agiram errados, mas no final das contas é realmente difícil de acreditar que não houve abusos por parte da polícia simplesmente por causa da cultura e do histórico que o Estado brasileiro possui na área.

    • Questões Relevantes
      05/09/2015

      Ferraro, certamente houve abusos por parte da polícia, que precisa ser melhor treinada e melhor equipada para este tipo de situação, mas o vídeo que acompanha o artigo mostra com toda clareza o cordão de contenção pedindo calma e sendo empurrado. A polícia não começou o confronto.

      Quanto ao movimento ser uma orquestração política, observe que em São Paulo estão tentando fazer o mesmo na esfera estadual mas desistiram da greve na esfera municipal, onde o prefeito é o petista Haddad.

      Quanto à sua dúvida sobre a veracidade dos aumentos, veja o vídeo contido no comentário do Carlos Costa.

      • Ferraro
        05/18/2015

        O que eu quis dizer é que houve uma real perda para os professores na reforma previdenciária, logo havia uma razão para eles saírem para as ruas.

        Os aumentos anteriores não são relevantes para o fato de que seus benefícios estavam sendo cortados. As pessoas sentem mais falta do que já possuem e é normal para qualquer classe de trabalhadores sair para a rua protestar contra qualquer corte independentemente se houve ou não aumentos reais em seus salários anteriormente.

      • Note que o artigo nem menciona o fato de que o governador tirou direitos privatizando a previdência.

        Sobre esses aumentos dados pelo governador, sinceramente, só acredito vendo o contracheque de um professor.

      • Questões Relevantes
        05/18/2015

        Lúcio, nos cementários há um vídeo do próprio sindicado falando do aumento.

        Quanto ao corte em benefícios, cabe muita discussão, mas no fim a conta tem que fechar ou o sistema não se sustenta.

  3. Carlos Costa
    05/05/2015

    Muito bom o artigo. Acredito que este outro artigo publicado pelo Reinaldo Azevedo reforça muito claramente seu ponto de vista (inclusive aos gastos excessivos do Governador):

    “Há coisas que deveriam envergonhar a APP Sindicato, que é a entidade que representa os professores da rede pública do Paraná. Deveriam envergonhar ainda mais a esmagadora maioria da imprensa — a de alcance nacional também, mas especialmente a regional, a paranaense. Por que escrevo isso? O governador Beto Richa (PSDB) está sendo estupidamente atacado pelas esquerdas do Estado. E isso já era o esperado. Mas virou alvo de jornalistas do país inteiro, que sonegam dos leitores, dos telespectadores, dos ouvintes e dos internautas, de forma sistemática, a realidade salarial dos professores do Estado. A greve que está em curso é abusiva legal e moralmente. É injustificável sob qualquer critério que se queira. Sabem quem reconhecia isso até outro dia? O próprio sindicato.

    Abaixo, vocês têm acesso a um vídeo. Façam cópia dele. Desafio a entidade a ter decência de não retirá-lo do ar. Assistam.

    O que temos aí? Em setembro do ano passado, Marlei Fernandes, então presidente do sindicato, faz campanha eleitoral em favor da Chapa 1, que era a da continuidade. Ela defende a eleição de seu aliado Hermes Leão, o que acabou acontecendo. Ambos foram protagonistas da invasão da Assembleia Legislativa em fevereiro e do ataque ao cordão de isolamento que protegia o prédio, feito pela Polícia Militar no dia 29. Marlei foi candidata a deputada federal pelo PT, mas não se elegeu.

    Informei aqui as condições de trabalho dos professores do Paraná, superiores às da maioria dos profissionais de outros Estados. Alguns tontos quiserem contestar, sem dados. Pois é… Quem confirma tudo é justamente a professora Marlei, a petista. O que ela diz no vídeo? Vai a fala transcrita, para o caso de ser eliminada do YouTube.

    “Em 2002, o salário de um professor e de uma professora em final de carreira era de R$ 2 mil, somados aos quinquênios. Hoje, o salário, no final do Nível II, Classe 11, é de mais de 8 mil. E, no final da carreira, Nível III, Classe 11, é de aproximadamente R$ 12 mil. Isso é compromisso dessa direção. Os funcionários da escola Agente 1 tinham, em 2002, no início de carreira, R$ 248; hoje, pode se aposentar com mais de R$ 5 mil, somados os quinquênios. O Agente 2 tinha um início de salário de R$ 348 e, hoje, pode se aposentar com mais de R$ 7 mil. Essa é a condução séria, que a direção da APP, através da Chapa 1, sempre fez. Agora, o professor Hermes Leão, que sempre esteve conosco em todas as batalhas, vai conduzir, juntamente com os demais companheiros e companheiras, a nossa próxima gestão. Estaremos firmes, mais fortes, contundentes, com a mesma responsabilidade de sempre, dirigindo a APP Sindicato. Por isso, dia 10 de setembro, vote Chapa 1 Estadual e Chapa 1 Regional, para a nossa categoria continuar avançando. Um grande abraço”.

    Eis aí: o próprio sindicato reconhece a boa realidade salarial dos professores no Estado. É claro que Marlei faz de conta que tudo nasceu da sua “luta”, não do esforço dos sucessivos governos, muito especialmente o de Beto Richa, em elevar o salário da categoria. Como já afirmei aqui, o piso para 40 horas no Estado é um dos mais altos do país: R$ 3.195; a remuneração média é de R$ 4.700. Dessas 40 horas, 14 são dedicadas à chamada hora-atividade. Desde 2010, foram contratados 23.653 professores, e o fundo para manutenção das escolas teve reajuste de 61%.

    E por que os professores estão em greve? Porque assim decidiram o PT e a seus aliados de extrema esquerda. O pretexto de que a mudança em regras da aposentadoria vai prejudicar o sistema é falso.

    Alguém poderia perguntar: “Ah, mas esses números justificam a violência policial?”. Não! Em primeiro lugar, eles mostram o absurdo da greve, já declarada ilegal. Em segundo lugar, é preciso que se verifique violência contra quem e em que circunstâncias. A PM saiu descendo o sarrafo em manifestantes pacíficos ou enfrentou brucutus, alguns deles mascarados, que depredavam o patrimônio público e tentavam invadir a Assembleia Legislativa?

    Reitero: este post não traz a versão do governador, mas a da ex-presidente do sindicato, uma das líderes da greve, da invasão e da tentativa de invasão. Ela também foi candidata a deputada federal pelo PT, derrotada no ano passado.”

    • Questões Relevantes
      05/05/2015

      Obrigado. Realmente ilustra bem a questão. Como disse no artigo, um dos erros do Richa foi conceder aumentos para várias categorias acreditando em uma expansão ilimitada da arrecadação. Ser bonzinho não significa ser um bom gestor. Mas a crítica que se faz a ele é justamente porque quer sanear as finanças.

    • lucemiro1405
      05/14/2015

      Ainda não vejo lógica. Se o PT faz propaganda de que está tudo às mil maravilhas, pq organiza uma greve que mostra ao país o exato contrário?

      Esses números aí não escondem a verdade: a educação no Paraná e no Brasil continua com problemas: os professores são diariamente agredidos e tb o foram pelos policiais do Paraná, brutalmente, aliás, ao ponto de que muitos ficaram em estado grave. Seu crime? Queriam protestar na “casa do povo” por seus direitos. Que grande farsa é essa democracia que vc apregoa de boca cheia, hein Falcão!

      • Questões Relevantes
        05/14/2015

        Lucemiro, mais uma vez você tortura os fatos para ver se eles confessam o que deseja afirmar. Tortura também minhas palavras.

        O PT faz propagandas falsas, é verdade, mas não perde (nunca perdeu) a oportunidade de uma greve, de um confronto contra administrações não Petistas, principalmente se forem do PSDB. Se você não entendeu nem isso, o que posso fazer?

        Quanto a permitir a repetição do vandalismo à assembléia, patrimônio público, cite um estado democrático de primeiro mundo que toleraria tal ação.

        Não neguei em nenhum momento a ocorrência de abusos por parte da polícia, apenas deixei claro que havia uma opção clara dos manifestantes pelo confronto. A esquerda adora usar o sangue dos outros como bandeira política. Talvez lhe fizesse bem ler este outro artigo: PARA EXTREMISTAS, NÃO INTERESSA QUEM MORRE, INTERESSA QUEM É O ALGOZ.
        http://goo.gl/1Q7OxZ

  4. Moa Cerqueira
    05/05/2015

    Na próxima que estiver em duvida de escrever, não escreva!

    • Questões Relevantes
      05/05/2015

      Moa Cerqueira, você tem algum argumento para sustentar seu gracejo?

      • Moa Cerqueira
        05/05/2015

        A situação do sistema educacional brasileiro e seus profissionais já se encontram a no mínimo 30 anos sendo sistematicamente deixados de lado- o tempo aqui colocado é relacionado a minha conscientização pessoal sobre o tema e sua importância, mas considero a historia anterior a mim- O tema é colocado em todo o planeta como ponto imprescindível ao desenvolvimento humano, não apenas aos brasileiros. O mesmo tema é alvo de promessas politicas, contundentes reclamações dos profissionais da área e da sociedade. O tema esta fora das argumentações reducionistas que os responsáveis são do PT, grupos radicais, ideologistas, violentos e outros tipos que compõe nossa sociedade, todos com direito e justificados em seus posicionamentos devido ao descaso que é tratado. Me incomodei com o direcionamento do texto em dizer que é um questionamento, insigth, observação, opinião…O que seja, sobre o tema, a qual esteja claramente denigrindo, diminuindo, manipulando num direcionamento em descaracterizar a importância da educação- mais uma vez, os profissionais envolvidos fazem parte do tema educação, que se quebre sim a ordem social, os prédios e cadeiras do patrimônio dito publico, pois educação esta acima disto, sem esta nada estaria de pé. Não leve para o pessoal, o que está em jogo vai além de nossos tolos egos. Paz.

      • Questões Relevantes
        05/05/2015

        A impressão é que você não não entendeu o que leu.

        Não nego o valor da educação e digo claramente “É evidente que professores merecem todo respeito e merecem ganhar mais.”

        O que o artigo questiona são os reais motivos do movimento (já que os professores do Paraná tiveram um reajuste de 60% nos salários durante a administração de Beto Richa frente a uma inflação de 25% no período) e a cegueira ideológica da imprensa ao papel decisivo dos manifestantes no confronto. Há inclusive um vídeo claríssimo sobre a postura de cada parte no momento zero.

        O artigo também lembra que toda vez em que a ideologia (qualquer uma) briga com a matemática, a segunda prova estar com a razão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 05/05/2015 por em Uncategorized.
%d blogueiros gostam disto: