questões relevantes

espaço para debate de ideias sobre a cultura e a civilização

JANIO DE FREITAS E A ÉTICA DESPETALADA.

etica

Certas afirmações, certas teses, são aceitáveis numa conversa de botequim, entre amigos. Nestas situações o único compromisso é com o prazer etílico, gastronômico ou antropológico.

A situação muda de figura quando falamos em público ou para o público, principalmente se à pessoa que emite opiniões e análises se atribui algum saber superior, uma intelectualidade que fundamente seu pensar e sustente suas opiniões. Nestas situações deveria haver um rigor para além de preferências sociais, políticas ou religiosas. Não se trata de cobrar opiniões ideologicamente neutras, o que é praticamente impossível e mais ainda quando o assunto é política, mas de se cobrar compromisso com os fatos e não com os desejos, com a história e não com mistificações, com a inteligência e não com a esperteza, com a ética e não com a vigarice intelectual.

Falo de pessoas com Janio de Freitas, profissional de comunicação empenhado em impingir a todos uma ética que nem é nova: a ética macunaímica, segundo a qual somos todos malandros. Todos ladrões. Assim, que mal há em que o PT também roube, principalmente se rouba para financiar seu projeto de poder?

E o pior: faz isto sem qualquer pudor, moral ou intelectual.

Em seu artigo na folha do dia 2 de abril último, o soldado Janio de Freitas escreveu dois parágrafos que são um mau plágio da piada segundo a qual, diante da magnitude dos roubos do PT, os crimes de Collor e Maluf seriam tratados no tribunal de pequenas causas. Reproduzo abaixo na íntegra:

OS COFRES

“O ex-senador Demóstenes Torres foi o único a pagar no caso em torno de Carlos Augusto Ramos, conhecido como Carlinhos Cachoeira. Falou agora pela primeira vez, sobre vínculos político-financeiros entre Carlinhos e o senador Ronaldo Caiado. Mas poucos talvez saibam como Demóstenes sobre os porões éticos de Brasília. Com muitas provas, porque seu amigo Carlinhos não é amador, como ficou provado desde o “caso Waldomiro” e, depois, com as gravações “não identificadas” na Praça dos Três Poderes.

Se os dois abrirem mais a memória, a Lava Jato ficará reduzida a literatura infantil.”

RETOMO

Evidentemente esta pérola do relativismo moral foi reproduzida em dezenas de blogs de aluguel que fazem exatamente o que está previsto no comunicado da SECOM que vazou e resultou na queda de Thomas Traumann: “A guerrilha política precisa ter munição vinda de dentro do governo, mas ser disparada por soldados fora dele.”

O que admiro em Janio de Freitas é seu desprendimento. Ele abriu mão de anos de credibilidade e boa reputação para ser garoto de recados de corruptos condenados. Defendeu e defende José Dirceu, o mago das consultorias, com fidelidade canina. Justificou e justifica todas a mentiras, mensalões e petrolões do PT com esmero. Agora, junta-se ao press-release oficial, ao discurso orquestrado, que busca colocar a todos, inclusive você e eu, no mesmo saco. Observe que a “notinha” não faz qualquer censura à roubalheira na Petrobrás e outras que surgem todo dia. Apenas as relativiza. Quase as justifica.

Sobre esta prática, reproduzo abaixo um artigo de Reinaldo Azevedo que trata de outros personagens que também cultivam o mau hábito de atropelar a ética:

“O leitor Rodrigo da Silva me envia um ótimo post, publicado no site Spotniks, intitulado “10 coisas que aprendi com os petistas na Internet”. Todas as sacadas são ótimas, mas a melhor é esta:
“5) Você não pode reclamar dos bilhões desviados pela corrupção porque fura fila na padaria”.

Essa é a ética profunda espalhada por aí por sedizentes intelectuais como Marilena Chaui e Renato Janine Ribeiro.

De forma deliberada, esses dois monstros do pensamento, em sentido estrito, pretendem nos tornar a todos sócios da roubalheira da Petrobras. E o fazem incutindo em nós sentimentos de culpa para que silenciemos diante dos descalabros.

O mecanismo é sutil, mas eficaz. No dia a dia, todos acabam cometendo pequenas falhas, não é? Não que estas sejam desejáveis ou não devam ser corrigidas. Mas é certo que, se você fizer uma ultrapassagem pela direita — E VOCÊ NÃO DEVE FAZÊ-LO —, não estará pronto para roubar a Petrobras. Caso, como ironiza Rodrigo, você fure a fila da padaria — E VOCÊ NÃO DEVE FAZÊ-LO —, isso não quer dizer que você tenha se candidatado a assaltar os pobres numa estatal ou num ente governamental.

Numa palestra recente a um grupo fechado, mas com vídeo na Internet, Janine elogiou uma peça da campanha eleitoral do PT, que viu como um emblema da hegemonia construída pelo partido: “Se você se incomoda ao ver um mendigo na rua, você é um pouco petista”, como se o petismo fosse o monopolista desse tipo de incômodo.

De maneira inversa, os janines e marilenas querem nos convencer de que os assaltantes dos cofres públicos nos representam. Afinal, também temos as nossas falhas… Assim, seríamos naturalmente petistas na generosidade e na sem-vergonhice.

Se é certo que devemos fazer coisas que, se generalizadas, tornam o mundo melhor — e esse é um bom fundamento da moral e da ética —, isso não implica uma permuta perfeita entre as esferas da vida pública e da vida privada. Trata-se de uma mentira, de uma pilantragem, desmentida pelos fatos.

Stálin tinha carinho pelas crianças. Pegava-as no colo, demonstrava preocupação genuína com elas. E depois mandava matar seus pais se isso fosse útil a seu projeto de poder. Já nem preciso lembrar que Hitler se preocupava com a preservação na natureza na década de 30 do século passado.

Você não deve furar fila na padaria. Você não deve fazer ultrapassagem pela direita. Você não deve desrespeitar regras elementares de convivência. Mas, se acontecer, saiba: ainda assim, você não roubou a Petrobras, não participou do conluio que ferra a vida dos pobres, não conduziu o Brasil à recessão, à inflação e aos juros estratosféricos.

Cumpre encerrar como um poeminha de Drummond, “Anedota Búlgara”, que vocês já conhecem, que trata justamente da distinção que existe entre as duas esferas de atuação: a pública e a privada.

Era uma vez um czar naturalista
que caçava homens.
Quando lhe disseram que também se caçam borboletas e andorinhas,
ficou muito espantado
e achou uma barbaridade.

Alguém dirá: o desejável é que não se cacem nem homens nem borboletas. Também acho. Desde que não se igualem homens a borboletas, em prejuízo dos homens, nem se considere que um caçador de borboletas será, necessariamente, um caçador de homens, ou que um amigo das borboletas será, necessariamente, um amigo dos homens.

A ética como a ensinam as marilenas e os janines faz mal aos homens e às borboletas e só serve à construção de um partido que se pretende dono do destino de borboletas e homens.”

RETOMO PARA CONCLUIR

É importante lembrarmos algo que, para mim, é fundamental: todos que cometem crimes, pertençam ou não a partidos políticos, devem ser investigados e punidos nos termos da lei. Mas apenas o PT justifica suas roubalheiras e eleva seus corruptos condenados à condição de “Heróis do povo brasileiro”. É a ética que Janios, Marilenas e Janines ajudam a disseminar.

Artigo de Paulo Falcão.

Link para o artigo de Janio de Freitas:

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/janiodefreitas/2015/04/1611499-o-poder-concentrado.shtml#_=_

Link para o artigo de Reinaldo Azevedo:

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/de-homens-e-borboletas-ou-a-etica-perturbada-de-janines-e-marilenas-ou-ainda-os-petistas-querem-nos-tornar-a-todos-ladroes-da-petrobras/

Aviso sobre comentários:

Comentários contra e a favor são bem vindos, mesmo que ácidos, desde que não contenham agressões gratuitas, meros xingamentos, racismos e outras variantes que desqualificam qualquer debatedor. Fundamentem suas opiniões e sejam bem-vindos.

Anúncios

16 comentários em “JANIO DE FREITAS E A ÉTICA DESPETALADA.

  1. Ferraro
    05/26/2015

    Eu pensei que para você Paulo a esquerda era sinônimo de socialismo. E você não acredita que o PT é socialista, não é?

    Um dos problemas com o PT foi o abandono de qualquer vontade de transformar a realidade social do país de forma mais significativa. O partido se tornou comum.

    O problema nesses debates é com a forma partidária que se usa o tema da corrupção. Não que o roubo do PT não deva ser apontado, mas é que precisamos reconhecer a forma como a qual a nossa elite política é contaminada pela mesma. Precisamos construir instituições fiscalizadoras mais poderosas, já existem algumas boas, mas faltam recursos para que elas tomem o corpo necessário para lidar com toda a corrupção existente. Também precisamos eleger uma elite política com espírito mais republicano e para fazer isso precisamos que novas pessoas de novos partidos e diferentes histórias comecem a entrar na política através de um movimento popular de grande alcance.

    Em relação ao texto eu concordo, há uma diferença de escala que significa coisas radicalmente diferentes para os indivíduos do ponto de vista psicológico, mas eu quero lembrar que essa lógica não é apena usada por defensores do PT, há muita gente que gosta de culpar a população brasileira pelos atos cometidos pelas elites políticos como se não houvesse qualquer nuance e distinção a ser feita, e como se todos fôssemos igualmente corruptos, para então concluir que o povo brasileiro não presta e que está condenado de qualquer jeito.

    • Questões Relevantes
      05/26/2015

      Ferraro, o PT é um partido com importantes lideranças alinhadas com a agenda da esquerda, aquela velha esquerda autotitária. Mas é um partido que atua dentro de uma democracia e é razoavelmente contido por ela.

      Um bom exemplo da ala mais radical (e instruída) do PT pode ser visto com clareza solar no artigo O REACIONÁRIO E O LIBERTÁRIO: QUEM É QUEM?: http://goo.gl/FJZs0I

      • Ferraro
        05/27/2015

        Eu já li e até comentei no artigo mencionado.

        Há pessoas dentro do PT que são de esquerda? Sim. O partido é de esquerda? Não. A sua atuação desde o início de seu governo não pode possivelmente ser categorizada de esquerda se você entender que esquerda é sinônimo de socialismo. O PT é um partido social-democrata acometido de um reformismo fraco (políticas conjunturais e não estruturais) e extremamente incompetente. Seja por razões pragmáticas ou ideológicas é claro que as lideranças do PT não possuem nenhuma intenção de romperem com o processo democrático que é onde eles podem ganhar, já que em qualquer outro cenário o PT perde.

        Eu acho extremamente perturbador ver pessoas achando que um partido que falhou em fazer uma reforma agrária que conservadores no Japão e Coréia do Sul fizeram para modernizar seus países, e falhou em fazer uma reforma tributária para tornar o sistema tributário brasileiro mais progressista como do Chile ou China, nem precisa ser ao nível de Austrália ou coisa assim, é um partido socialista. Aliás, essas reformas não são socialistas, mas sim sociais-democratas, só que é um reformismo forte que visaria transformar mais fundamentalmente a realidade brasileira ao tomar emprestada a experiência dos países que são desenvolvidos. Para o PT ser socialista ele precisa cruzar a linha para reformismo forte e então dar um pulo para a esquerda.

      • Questões Relevantes
        05/27/2015

        Ferraro, como lhe respondi em outro comentário, nenhum governo é “socialista” em uma democracia. Para tornar-se socialista é necessário solapar a democracia primeiro. Mas é possível ter uma agenda socialista dentro de uma democracia.

      • Ferraro
        05/27/2015

        Os primeiros partidos socialistas e sociais-democratas (na época socialistas) do início do século XX em alguns países até tiveram a intenção de transformar a sociedade capitalista em uma sociedade socialista através do processo democrático, se isso iria se consistir no fim da democracia eu não sei, mas nenhum partido social-democrata possui mais essas intenções há muito tempo.

        O PT não possui agenda socialista nenhuma. Eu realmente espero que você não esteja jogando a palavra socialista como acusação para pessoas e partidos que você não gosta.

      • Questões Relevantes
        05/27/2015

        Ferraro, no artigo TEORIA DAS GAVETAS trato desta questão e de como a social democracia migrou da esquerda para o centro.

        Não uso a palavra socialista como acusação, mas a uso para definir ideias políticas que consideram a “democracia burguesa”uma etapa a ser superada.

        Se alguém tem a democracia, esta democracia republicana, como valor fundamental, ela é de centro ou de direita. Não há compatibilidadade nenhuma entre o marxismo, ou o marxismo-leninismo ou o maoismo com os fundamentos da democracia.

        Se a pessoa vê a democracia como uma etapa a ser superada, ela está na esquerda, extrema esquerda ou extrema direita.

        Analisando o discurso e a prática de pessoas como Marco Aurélio Garcia, Stedile, Ruy Falcão, Lincoln Secco, Fernando Haddad, Tarso Genro, José Dirceu e vários outros petistas, não há como não perceber que desprezam a democracia e valorizam modelos autoritários.

        Espero que tenha ficado claro.

      • Ferraro
        06/08/2015

        Ok, eu não vou discutir sobre a sua alocação das ideologias no espectro político porque nós já conversamos sobre isso em outro tópico, mas vou insistir na lógica aqui.

        Você afirma que a esquerda é composta por pessoas que não valorizam ou aceitam a democracia liberal.

        Como então um partido pode ser de esquerda em uma democracia? Tecnicamente se um partido tentar tomar mais poder do aquilo que antes lhe era legitimamente garantido e agir contra o Estado Democrático de Direito, coisa possível, e que aconteceu na Venezuela e Turquia, então há base para se falar que o partido está agindo de forma autoritária mesmo que o partido tenha sido eleito.

        O PT agiu ou age de forma autoritária? Não, a prova é o fato de que estamos aqui debatendo livremente e criticando o governo, o congresso está fazendo o que diabos ele quer, e nenhuma liberdade no Brasil foi danificada durante o seu governo.

        Ele não age de forma autoritária porque não pode ou porque não quer? Eu não acho que isso importa. Primeiro que há elementos autoritários e não autoritários dentro do PT, e segundo que isso é só especulação, e cada um especula o que quiser, por isso é importante prestar atenção as ações.

        É importante perceber que democracia só funciona quando todos os grupos políticos entendem que o custo de tentar reprimir a oposição não é algo que vale a pena, a manutenção da democracia pelos partidos é pragmática e não necessariamente ideológica. Humanos possuem uma grande propensão para o autoritarismo, tanto para aceitá-lo como para criá-lo, e em países como o Brasil de cultura cívica e democrática mais pobre em todos os partidos com maior projeção há uma veia autoritária que não é expandida devido a razões pragmáticas. Então reclamar que o PT é secretamente autoritário, mas que não age dessa forma devido a razões pragmáticas é bobo, o mesmo pode ser dito do Partido Republicano dos EUA, do PSDB do Brasil ou em fato de quase qualquer outro partido no mundo, a maioria dos grupos de pessoas buscando o poder adotaria o autoritarismo se eles pudessem escapar ilesos com isso, até porque todos eles sofrem da necessária ilusão de que eles sabem melhor que todos os outros.

        A ciência social e política no Brasil independente de paixões ideológicas são unânimes em reconhecer que o PT que entrou no governo foi um partido moderado que abandonou a vertente anticapitalista do passado. Todo mundo concorda com esse fato, e se algum líder do PT continua usando retórica de esquerda eu não sei e não me importo em saber.

        Outro problema aqui é a separação entre autoritarismo e esquerda.

        De acordo com o seu quadro a esquerda pressupõe o autoritarismo, mas nem todo autoritarismo é de esquerda ou você vai me dizer que o governo de Pinochet foi de esquerda?

        Então o PT marca os outros pontos para ser de esquerda? O PT até pode, mas o governo da Dilma não. O governo da Dilma foi um de direita de acordo com a sua classificação, olhemos para a sua política agrária (menos assentamentos que o FHC), indígena (mudando as regras para dificultar a demarcação de terras), assistencial (diminuição do valor do Bolsa Família ajustado a inflação), e de subsídios e do BNDS (grande volume de investimento para amigos empresariais), isso não pode ser classificado como um governo de esquerda por nenhum parâmetro, mesmo que o seu parâmetro seja Castro, o que aconteceu durante o governo dos último foi o exato oposto da linha do governo Dilma.

        Então não só o governo Dilma não é autoritário e eu não vejo sentido em especular se assim é porque o partido aceita a democracia por razões pragmáticas ou ideológicas, como o governo da Dilma não foi e continua não sendo de esquerda pelos outros motivos além do autoritarismo, já que autoritarismo é um princípio, mas não toda a ideologia da esquerda.

        No outro tópico ainda estávamos falando sobre o Partido Trabalhista do Reino Unido e eu pedi para você me explicar o que é uma agenda de esquerda dentro de uma democracia e você não o fez, e certamente você não saberá me dizer como o Partido Trabalhista inglês estaria agindo de forma autoritária quando eles passaram o poder para o Partido Conservador quando o último ganhou. Quer dizer, se é difícil aceitar a classificação do PT como um partido de esquerda é mais difícil ainda aceitar o mesmo com o Partido Trabalhista inglês que afinal existe em um país de cultura democrática secular, o primeiro país a tentar limitar o poder do rei absoluto, a famosa Magna Carta ainda em 1215 que previa que nenhum homem devia ser privado de seus bens ou vida sem um julgamento por seus pares, e que depois de séculos de luta e de momentos em que a Magna Carta era respeitada ou não, foi o primeiro a realizar as revoluções burguesas ainda no século XVII.

        O problema que eu vejo aqui é o uso do termo esquerda de forma conveniente. Quando lhe apresentam países que são modelos de bem-sucedidas reformas sociais como os países escandinavos, mas outros países também, você pode dispensar qualquer contribuição da esquerda aí afirmando que na verdade esses países, independentemente de gasto social, redistribuição de renda, e qualquer outra coisa, são países que sofreram reformas centristas porque são países democráticos e a esquerda não é democrática. Entretanto ao invés de tomar o passo lógico que seria reconhecer o centrismo de partidos agindo democraticamente em países democráticos você rotula como de esquerda partidos que não agem para além do escopo da democracia.

        Você deve ser consistente e lógico com o seu espectro ideológico e com a realidade.

      • Questões Relevantes
        06/08/2015

        Ferraro, como Marx e Engels são a principal influência sobre a esquerda do sáculo XX; como 99% da produção intelectual sobre política no mesmo período são marxistas; como o marxismo é declaradamente inimigo mortal da “democracia burguesa”; como resistem no interior de vários partidos de esquerda que atuam nas democracias o objetivo de implodí-la, concluo o óbvio: se uma pessoa tem realmente a democracia como valor fundamental, não é de esquerda.

        Este tema foi organizado no artigo TEORIA DAS GAVETAS e retomado em diversos outros artigos deste blog.

    • Riobaldo Antunes
      06/06/2015

      Ferraro, o PT só não vai mais à esquerda, marchando por cima da democracia, por falta de oportunidade. Veja este vídeo que tem como protagonista Rui Falcão, presidente do partido: https://www.youtube.com/watch?v=b1QaCRuSKBo

    • Augusto Toledo
      06/07/2015

      Ferraro, tenha em mãos seu dicionário Ptista:

      Democratização – controlar;
      fiscalizar, ter sob o seu domínio.

      Socializar – manipular opinião pública, manipular a massa, transformar a opinião do partido na opinião da maioria.

      O PT pode não conseguir implantar sua agenda, mas isto não significa que não a tenha. Veja este vídeo do último congresso do partido:

  2. Márcio Pella
    04/18/2015

    Ai maluco. Perdi tempo lendo isso que tem até erro de português. Justiça para todos! Cadê o julgamento do mensalão tucano?

    • Questões Relevantes
      04/18/2015

      Se leu, não entendeu. O último parágrafo diz: “É importante lembrarmos algo que, para mim, é fundamental: todos que cometem crimes, pertençam ou não a partidos políticos, devem ser investigados e punidos nos termos da lei. Mas apenas o PT justifica suas roubalheiras e eleva seus corruptos condenados à condição de “Heróis do povo brasileiro”. É a ética que Janios, Marilenas e Janines ajudam a disseminar.”

  3. Marco Antônio
    04/16/2015

    Nos anos 1980 Jânio de Freitas era um nomão do jornalismo. Nunca escreveu bem, mas tinha consistência. Foi ele quem pela primeira vez publicou anúncios classificados codificados antecipando resultado de concorrências. Foi um rebuliço. Continuou combativo enquanto seus amigos não estavam no poder. Depois, entregou os dedos e os anéis.

    Penso que nada simboliza melhor seu ocaso moral que a defesa incansável de José Dirceu. Como diria Luís Fernando Veríssimo, nem a Velhinha de Taubaté acredita na inocência dele.

  4. Silvia Regina
    04/16/2015

    Achei que o trecho abaixo sintetiza de forma definitiva a encruzilhada em que Janio de Freitas teve que optar entre a ética e as paixões ideológicas:

    “O que admiro em Janio de Freitas é seu desprendimento. Ele abriu mão de anos de credibilidade e boa reputação para ser garoto de recados de corruptos condenados. Defendeu e defende José Dirceu, o mago das consultorias, com fidelidade canina. Justificou e justifica todas a mentiras, mensalões e petrolões do PT com esmero. Agora, junta-se ao press-release oficial, ao discurso orquestrado, que busca colocar a todos, inclusive você e eu, no mesmo saco. Observe que a “notinha” não faz qualquer censura à roubalheira na Petrobrás e outras que surgem todo dia. Apenas as relativiza. Quase as justifica.”

    Evidentemente, ficou com as paixões.

  5. MARAT
    04/04/2015

    Bom comentário o seu, evidencia o relativismo moral e cultural adotado pelos esquerdopatas, demonstrando claramente que ser de esquerda é uma psicopatia e a prova disso é que dentre todos envolvidos, ninguém tem uma vírgula de sentimento de culpa. No cérebro desarranjado deles é correto “usar” o dinheiro público para fazer a revolução contra o capitalismo. Para eles, os “progressistas”, o conceito de evolução é quando toda população partilha a miséria vivendo em função das diretrizes do estado, sem contestações ou vontade própria.
    O que eles querem não deu certo em lugar nenhum, tampouco aqui dará.

    • Questões Relevantes
      04/04/2015

      Há muitos ingênuos de bom coração no campo da esquerda. Apenas uma minoria tem consciência do que deseja, do que defende. O termo “esquerdopata” talvez se aplique a Safatle e Lincoln Secco, certamente a Stédile, Rui Falcão, Tarso Genro e Marco Aurélio Garcia, mas não é o caso do trio. O caso deles me parece mais servilismo e falta de vergonha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 04/03/2015 por em Uncategorized e marcado , , , , .
%d blogueiros gostam disto: