questões relevantes

espaço para debate de ideias sobre a cultura e a civilização

BOLSONARO, O GAROTO PROPAGANDA DA ESQUERDA.

96-Bolsonaro-e-a-homofobia quadrado

Há pessoas que fazem um mal evidente à democracia e ao bom-senso, como Jair Bolsonaro. Ele é uma espécie de avesso (na forma, não na função) do também folclórico Jair Meneguelli do PT, que anda em silêncio embolsando uma graninha lá no SESI, mas quando falava também “causava”. Outro que podemos citar como exemplo de antípoda falastrão é o atual presidente do PT, Rui Falcão. No entanto, pode-se dizer que os três, cada um à sua maneira, trabalha a favor de quem gosta de uma ditadura.

Mas voltemos ao primeiro, que é hoje o principal “garoto propaganda” da esquerda brasileira, desempenhando um papel de “paradigma da direita”, o que é absolutamente falso*.

ESTE É O TIPO DE PESSOA QUE DEFENDE A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL.

Em um debate do qual participei, uma “pós-doutorada” das Ciências Sociais fez a afirmação acima usando Jair Bolsonaro como referência. Comprei a briga. Segue abaixo um trecho do debate:

Paulo: Eu, por exemplo, defendo. Acredito que a Inglaterra tem uma legislação adequada neste ponto, uma vez que o mal perpetrado à vítima não muda sua natureza em função da idade do agressor. O fato de um idiota como o Bolsonaro defender a redução não me iguala a ele, da mesma forma que as ações do assassino em massa Stalin não a igualam a ele, embora ambos estejam no mesmo lado do espectro político.

Socióloga: Uma correção: Stalin estava do lado do autoritarismo populista manipulador. Em síntese, estava ao lado dele apenas.

(Quanto à maioridade penal) Não existe natureza criminosa. Isto é psicopatia e exceção. A regra é a miséria e profunda desigualdade social que geram violência, o que é um truísmo sociológico. Criminalizar a vítima é que é hediondo. Ir contra os direitos humanos aproxima um (certo) tipo de gente, sim.

Paulo: Sua argumentação é falha em cada premissa. Não vou nem falar de Stalin agora**, vamos ficar só com a maioridade penal.

1) “Não existe natureza criminosa. Isto é psicopatia e exceção”.

Aqui, seu comentário já refuta a primeira afirmação, ou seja, mesmo sendo exceção, existe.

2) “A regra é a miséria e profunda desigualdade social que geram violência, o que é um truísmo sociológico”.

O que você considera uma obviedade eu considero apenas preconceito. Aqui, seguindo sua lógica, deveríamos ter a maioria dos que vivem na condição de “miséria e desigualdade social” agindo como criminosos, o que não acontece e já desmonta a tese. Além disso, a grande maioria das vítimas está na mesma “classe social”.

Outro ponto: se o crime é resultado da “miséria e profunda desigualdade social “, que diferença faz a idade de quem o comete? Este raciocínio leva ao beco sem saída de que a “miséria e profunda desigualdade social” legitimam ações criminosas. É uma leitura primária do conceito de “luta de classes”.

3) “Criminalizar a vítima é que é hediondo. Ir contra os direitos humanos aproxima um (certo) tipo de gente, sim”.

Vamos lá. Um jovem de 16 anos mata a facadas um colega de classe. Pela sua tese, não há culpados, não há criminosos, apenas duas vítimas. Quanto ao “Ir contra os direitos humanos”, cito o DICIONÁRIO DE POLÍTICA, de Norberto Bobbio, Nicola Matteucci e Gianfranco Pasquino no verbete DEMOCRACIA: (…) “a única forma de Democracia compatível com o Estado liberal, isto é, com o Estado que reconhece e garante alguns direitos fundamentais, como são os direitos de liberdade de pensamento, de religião, de imprensa, de reunião, etc, é a Democracia representativa ou parlamentar”.

Ou seja, o que você chama de direitos humanos é considerado uma conquista da democracia liberal, que inclui a social democracia. Não há tais direitos em governos que avançam na agenda da esquerda.

MUDANÇA DE FOCO.

Deste ponto em diante, a socióloga muda o assunto do debate da “Maioridade Penal” para “os males do neo-liberalismo”. Para que não fique demasiadamente longo, publicarei a segunda parte do debate em outro artigo.

Notas:

* Sobre o “paradigma de direita”, sugiro ler:

ESQUERDA x DIREITA: A TEORIA DAS GAVETAS OU COMO NÃO CHAMAR URUBU DE “MEU LÔRO”.

http://goo.gl/jJ5uFC

** Sobre a questão das afirmações da socióloga sobre “Stalin”, este artigo cai como uma luva:

A ESQUERDA E OS CAMINHOS QUE SE BIFURCAM.

http://goo.gl/bQL5kY

Artigo de Paulo Falcão.

Aviso sobre comentários: Comentários contra e a favor são bem vindos, mesmo que ácidos, desde que não contenham agressões gratuitas, meros xingamentos, racismos e outras variantes que desqualificam qualquer debatedor. Fundamentem suas opiniões e sejam bem-vindos.

Anúncios

44 comentários em “BOLSONARO, O GAROTO PROPAGANDA DA ESQUERDA.

  1. Junior
    10/21/2016

    Parabéns pelo Blog amigo, suas argumentações são muito bem fundamentadas e coerentes. Discordo da sua opnião sobre o Deputado Bolsonaro, acredito que os pontos positivos dele superam e muito os negativos. Por muitas vezes acredito que ele exagera no conteúdo de seus discursos, mas por outro lado me ponho no lugar dele. Acho que eu não aguentaria o tempo que ele está aguentando no meio desta corja de bandidos. Com certeza já teria estourado.

    Há hoje no congresso alguém que lhe represente?

    Grande abraço e muito obrigado pelos artigos de qualidade.

    • Questões Relevantes
      10/21/2016

      Obrigado.

  2. Cauê
    02/05/2016

    Caro,

    EXCELENTE define esse artigo. Momentos de lucidez na direita como esse seu me fazem ter esperança.

    Se formos colocar os pontos positivos e negativos do Bolsotário, os negativos ganham de LAVADA! É até covarde a disputa. Vejo seguidores dele se sentindo na liberdade de agir com a mesma agressividade desse político de merda.

    Qual a grande “vantagem” dele? Ser contra o PT? Grande merda. Isso mais um monte de político é. E ações? E postura? E decêndia? Bostanaro não é nem sequer DECENTE, incentivando violência, incentivando discriminação, além de ter uma cara e um jeito de retardado que só sendo muito besta pra se simpatizar com “aquilo”.

    DIREITA SEM BOLSONARO!

    Muito, muito bom seu artigo e seu site. Adicionarei aos favoritos do meu. Obrigado por esse momento de lucidez, é uma calma para mim notar que existem direitistas sãos que percebem o quão doente é esse pró-ditadura e otário.

    Abraço!

    • Questões Relevantes
      02/05/2016

      Obrigado pelos elogios. No entanto, acredito que usar uma linguagem mais polida não prejudicaria em nada seu comentário.

  3. Poli Cam
    02/03/2016

    Ainda que o seu texto seja ótimo na parte do debate, quando se trata do Bolsonaro, você apela para o ataque rasteiro, pintando-o como nazista. Pior, você faz isto sem apresentar uma só declaração do deputado onde ele defenda o nazismo. E, como ele critica os socialistas (esquerdistas) com uma ênfase inexistente entre os liberais, você ainda o chama de “garoto propaganda” da esquerda.
    O fato do Bolsonaro não fundamentar as suas opiniões com um discurso articulado, não quer dizer que as mesmas estejam totalmente erradas. Por exemplo, eu gostaria de ver alguém refutar a seguinte declaração, estilo brucutu, do deputado: “prefiro os presídios cheios de bandidos, do que os cemitérios cheios com as suas vítimas”, ou esta: “não quer ir pra lá [Pedrinhas]? é só não roubar, estuprar ou matar, porra!”.

    • Questões Relevantes
      02/03/2016

      Poli, até relógio quebrado estará certo duas vezes por dia. O problema destes discursos cheios de preconceitos que o Bolsonaro costuma utilizar é que ele acaba tendo maior visibilidade e servindo como munição para a esquerda, tanto a brucutu quanto a mais moderada, que consegue transformar alguém que está próximo do fascismo em ícone da direita, o que é conceitualmente errado, mas “cola” e acaba tirando visibilidade dos verdadeiros liberais.

      A montagem que ilustra a matéria é apenas um exemplo deste uso rasteiro que a esquerda faz da imagem pública, falastrona, grosseira e autoritária que este personagem parece cultivar.

  4. Marco Monteiro
    01/19/2015

    Meu Deus, será que ninguém entendeu, ou não quis entender, que aquilo que foi dito por Bolsonaro foi algo dito sem pensar, aquelas idiotices ditas num momento de raiva. O deputado estava apenas respondendo ao insulto proferido pela Maria do Rosário, que havia lhe acusado de ser um estuprador. QUALQUER HOMEM DE BEM FICARIA REVOLTADO AO SER CHAMADO DE ESTUPRADOR e, nervoso, falou a besteira que falou.

    Vale destacar o que Olavo de Carvalho comentou sobre o caso, criticando até a postura de Reinaldo de Azevedo em tal assunto:

    “Está aberta a temporada de caça ao deputado Jair Bolsonaro. Na verdade, sempre esteve, não sendo essa portanto a razão pela qual volto ao assunto. A razão é que agora os tiros vêm da mais inesperada das direções: a coluna do Reinaldo Azevedo. E vêm com aquela persistência inflexível do atirador que não aceita como troféu senão a completa destruição do alvo ou, na mais branda das hipóteses, a sua definitiva humilhação pública.

    Numa de suas últimas postagens, o colunista da Veja firmou sua posição: ou o sr. Bolsonaro pede desculpas à sua colega Maria do Rosário, ou merece ter seu mandato cassado. Cassar o mandato de Maria do Rosário? Nem pensar.
    Já disse, e reafirmo, que sou amigo do Reinaldo Azevedo e não deixarei de sê-lo por causa de uma opinião errada, depois de tantas certas e valiosas que ele já publicou. Mas esta de agora é tão errada, tão absurda, tão indefensável, que eu falharia ao meu dever de amizade se não alertasse o colunista para a injustiça que comete e o vexame a que se expõe.

    Que a resposta do sr. Bolsonaro à sra. Maria do Rosário foi “uma boçalidade”, como a qualifica Reinaldo Azevedo, é certo e ninguém duvida. Mas o sr. Bolsonaro a pronunciou em resposta, não a “outra boçalidade”, como pretende Azevedo, e sim a uma falsa imputação de crime, que é por sua vez um crime. Reinaldo Azevedo exige que a boçalidade seja punida e o crime fique impune.
    Como todo debatedor teimoso que se empenha na defesa do indefensável, Reinaldo se vê forçado a apelar a expedientes argumentativos notavelmente capciosos que, em situações normais, ele desprezaria.

    Um deles é proclamar que a resposta do sr. Bolsonaro a Maria do Rosário transforma o estupro em uma “questão de mérito”. Quer dizer, pergunta Reinaldo, que, se Maria do Rosário merecesse, Bolsonaro a estupraria? Isso é deformar as palavras do acusado para lhe imputar uma intenção criminosa. Na verdade, Bolsonaro disse: “Se eu fosse um estuprador…” O restante da frase, portanto, baseia-se na premissa de que ele não o é, e só pode ser compreendido assim. Reinaldo parte da premissa inversa para dar a impressão de que o deputado fez a apologia do estupro. Com isso, ele endossa o insulto lançado pela deputada Maria do Rosário e usa essa premissa caluniosa como prova de si mesma. Raciocinar tão mal não é hábito de Reinaldo Azevedo, mas, como se sabe, o ódio político move montanhas: montanhas de neurônios para o lixo.

    Pior ainda: tendo recebido centenas de objeções sensatas e racionais na área de comentários do seu artigo – inclusive as minhas –, ele não responde a nenhuma, mas tenta dar a impressão de que toda a oposição à sua versão dos fatos vem de “seguidores de Bolsonaro”, exemplificados tipicamente nos signatários de uma petição raivosa que exige a demissão do colunista de Veja. Fui ver a petição, e sabem quantos signatários tinha? Sete e não mais de sete (talvez agora tenha oito ou nove). Ao fazer desses sete os representantes da maioria que não pedia cabeça nenhuma, Reinaldo procedeu exatamente como os repórteres pró-petistas que, na massa de dezenas de milhares de manifestantes anti-Dilma, pinçaram cinco ou seis gatos pingados adeptos da “intervenção militar” para criar a impressão de que a manifestação era essencialmente golpista.”

    • Questões Relevantes
      01/19/2015

      Marco Monteiro, o Jair Bolsonaro, com seu estilo boca rota acaba falando diversas boçalidades que viram uma metonímia da direita, ou seja a parte boçal se torna a representação do todo. Isto é evidente. É cristalino. E por esta razão ele funciona como um garoto propaganda da esquerda, como um judas a ser malhado, garantindo o circo da esquerda festiva e o constrangimento de quem reconhece em seu estilo falastrão nada mais que inconsequência.

  5. Alexandra Mello
    12/16/2014

    No que diz respeito ao Jair Bolsonaro ser garoto propaganda da esquerda, o Reinaldo Azevedo chegou à mesma conclusão. Veja o que diz em artigo publicado nesta segunda, dia 15:

    “(…) É claro que, quando este senhor dispara aquela barbaridade contra Maria do Rosário, por mais eu execre — e execro — a atuação da petista, justamente ao criticar as conclusões absurdas da Comissão Nacional da Verdade, está é ganhando o aplauso de alguns extremistas de saliva — não mais do que isso — que o admiram, quem sabe ganhando uns votinhos a mais, e prestando um grande serviço à esquerda. Aliás, Bolsonaro é o mais importante aliado objetivo de esquerdistas doidivanas e do colunismo mixuruca, que o tratam como um espantalho, como se ele representasse um risco real de retrocesso institucional. Não representa nada! Todo mundo sabe que os militares não dão a menor bola para o que ele diz.

    O Conselho Nacional de Direitos Humanos entrou com uma representação contra o deputado na Procuradoria-Geral da República. PT, PCdoB, PSOL e PSB recorreram contra ele no Conselho de Ética. Olhem aqui: já defendi, no passado, o direito que tem Bolsonaro de ter a opinião que quiser sobre os mais variados assuntos. O que testa a nossa tolerância é ouvir coisas que os outros dizem e que julgamos detestáveis. Mas direito de afirmar que estupro é matéria de merecimento, valorando positivamente a violência, bem, esse direito, ele não tem, ainda que seja pura retórica e estridência meio circense. É retórica, sim, mas ele está obrigado a seguir o decoro da Casa.

    Se for punido, não derramarei por ele uma única palavra. Não terá sido por delito de opinião, mas por expressar uma opinião delituosa. Esse tipo de comportamento e essas declarações só colaboram com o pior Brasil, num extremo e no outro. Não! O lixo dito por Bolsonaro não é “de direita”. É apenas, repito, uma boçalidade.

    Se seus seguidores nunca mais quiserem ler meu blog, paciência. Eu não combato o lixo moral da esquerda porque aceite agressões à ordem constitucional, aos fundamentos da democracia e à civilização. Eu o combato justamente porque não as aceito. E não seria Bolsonaro a me fazer mudar de ideia.”

    Agora, quanto a esta socióloga…fraquinha, não? Capacidade ZERO de argumentação.

    • lucemiro1405
      12/16/2014

      Esse blog é dez! Só aqui mesmo para a gente encontrar mulheres defendendo Bolsonaro! kkkkkkk

      Q isso…Eu vejo militares se sentindo representandos por ele. Já conversei com eleitores dele em minha cidade, dizendo que Genoíno não era guerrilheiro na verdade. Bolsonaro não é a verdadeira “direita”? Essa direita vive nos seus sonhos, meu bem? A verdadeira direita é pacífica e boazinha! Não quer violência, quer paz e amor, assim como Lulinha.

      • Questões Relevantes
        12/16/2014

        Lucemiro1405, me parece que você não entendeu o que leu. O comentário é CONTRA o Bolsonaro, por dois motivos: pelo absurdo da declaração sobre o estupro e porque seu comportamente é o de alguém que não preza a democracia. Releia. Talvez entenda.

  6. Serapião Serpa
    12/15/2014

    Achei que tinha tuda a ver, que complementava bem este artigo. Segue texto do Paulo Briguet

    MILITANTE DO CAOS

    É o cara que se escandaliza com Bolsonaro, mas não vê problema algum em Graça Foster, em Dilma, em Lula.
    É o cidadão que se preocupa com os centavos da passagem de ônibus, mas ignora os milhões da Petrobras.
    É a moça que defende o aborto, mas considera a palmada um crime hediondo.
    É aquele que odeia os judeus e quer a destruição do Estado de Israel, mas faz campanha contra o racismo e xinga os adversários de nazistas.
    É aquele que acusa Bolsonaro de ser apologista do estupro, mas ignora o professor que defendeu o estupro de Rachel Sheherazade.
    É aquele que chama empresário de sonegador, mas aceita a maquiagem fiscal da Dilma.
    É aquele que protesta quando morre um traficante, mas festeja quando morre um policial militar.
    É aquele que não se importa em destruir a vida do adversário, se isso for importante para a causa.
    É aquele que passa a odiar sua cidade quando a maioria não vota em sua candidata.
    É aquele que chama o caso Celso Daniel de “crime comum”.
    É aquele que usa a expressão “ação penal 470” para se referir ao mensalão.
    É aquele que prega a estatização do financiamento eleitoral.
    É aquele que usa a palavra “estadunidense”.
    É aquele que tem uma grande simpatia pelos nanicos da linha auxiliar do PT.
    É aquele que não vê nada demais no fato de o PIB per capita da Coreia do Sul ser de 32 mil dólares e o da Coreia do Norte, de 1.800 dólares. Afinal, a Coreia comunista é mais igualitária.
    É aquele que apoia o movimento gay, mas também apoia o regime cubano, que já fez campos de concentração para homossexuais.
    É aquele que acredita em governo grátis, mesmo quando o País trabalha até maio só para pagar impostos.
    É aquele que odeia a censura, mas quer o controle social da mídia.
    É aquele que faz tudo para acabar com a família e a igreja, pois sabe que elas são os principais focos de resistência ao poder do Estado e dos movimentos sociais.
    No fundo ele sabe que o país está sendo saqueado, exaurido, violentado – mas diz que o problema é o Bolsonaro.
    É aquele que nunca perdoa.

  7. rafael
    12/15/2014

    Falsa premissa partem os dois.
    primeiro, se viser uma visita ao presídio enxergará que a profunda desigualdade eh, também, causa do crime. Até pq… quando o sr viu um banqueiro ou político preso na historia brasileira? Felizmente nos últimos anos.

    segundo, redução da menoridade a partir da legislação inglesa? Q piada, como se a solução para os problemas deles fossem a mesma para os nosso. O fato eh que há paises como Alemanha e holanda, smj, que praticaram a redução da maioridade penal e estão volta do atrás, visto que não houve resultados pretendidos. Por uma razao bem lógica, se reduz para 16, o menor de 14 passa a ser utilizado no crime. E assim sucessivamente. Logo, única alternativa racional seria a discussão de extirpar a menoridade penal. Há países que adotam esse sistema… mas isso demanda uma maior reflexão sobre o tema.

    terceiro, demonstra completa ignorância acerca do conhecimento do que seria “agenda de esquerda”. Direito de minorias, por exemplo, faz parte da agenda de esquerdo. Isso partindo da divisao bipartite de ideologia (esquerda x direita). Se considerar tres classificações (esquerda centro direita), boas pautas, tanto de esquerda quanto te direita, se incluiria no “centro”, repudiando as pautas extremistas de cada um a luz da democracia.

    Quanto ao exemplo do “crime” praticado entre menores, o nosso ordenamento classifica como “infração”. Há mera mudanca de terminologia e cumprimento de pena. Mas nenhum desses ficam (ou nao deveriam) impunes.pode-se discurtir um aproprimoramento no tratamento do menor infrator, como ja disse acima.

    Enfim. O que só acho lamentável eh a arrogância de certas pessoas como o articulista, que aparentemente se mostra de direita (nao vislimbrei extrema direita como bolsonaro), ou até de centro, embora com um pouco de ranço, se achando o dono da verdade e que nenhuma ideia ou pauta vinda “do lado de la” possa vir a ser util ou repensada.

    • Questões Relevantes
      12/15/2014

      Rafael, há estudos que apontam a impunidade como um fator indutor de criminalidade com peso maior que a pobreza ou a desigualdade social.

      Quanto a banqueiro preso, no momento há um, Katia Rabello, dona do Banco Rural e ativa participante da lavagem de dinheiro do mensalão.

      No que se refere ao modelo inglês, acho interessante que eles possuem leis de proteção a crianças e adolescentes, mas em caso de crimes graves a situação é avaliada por um juiz que decide se havia ou não consciência do ato criminoso. Caso avalie que havia consciência, crianças e adolescentes são julgadas com adultos, o que impede que estupros, assassinatos e assaltos permaneçam impunes.

      Quanto à completa ignorância acerca do que seria “agenda de esquerda”, segue uma lista de artigos sobre o tema. Pode parecer um pouco (ou muito) arrogante, mas responde bem suas indagações:

      ESQUERDA x DIREITA: A TEORIA DAS GAVETAS OU COMO NÃO CHAMAR URUBU DE “MEU LÔRO”.
      http://goo.gl/jJ5uFC

      QUANDO A PATRULHA IDEOLÓGICA COMPROMETE A LÓGICA.
      http://goo.gl/Emqi6b

      A ESQUERDA E OS CAMINHOS QUE SE BIFURCAM.
      http://goo.gl/bQL5kY

  8. Paulo José Silva Valença
    12/15/2014

    “Sabe o que era obra de referência de linguística histórica pouco antes de Saussure, querido? A Bíblia”
    Sou doutor em linguística e uma declaração como essa é de arrepiar!
    Pelo amor de Deus, antes de Saussure já se fazia linguística científica, numa vertente histórico-comparatista, sem apelos à Bíblia como fonte de autoridade. Havia Franz Bopp, Friedrich Diez, Hermann Paul e demais neogramáticos! O próprio Saussure teve sua tese em linguística inspirada nos neogramáticos. Por fim, boa parte da linguística norte-americana se desenvolveu sem contato algum com a obra de Saussure, inclusive sem conhecer a compilação do famoso Cours de linguistique generale, feita por alunos de Saussure!

    • Questões Relevantes
      12/15/2014

      Paulo José Silva Valença, obrigado pela contribuição. Aparentemente o uspiano Kuntz LM erra em todos os campos em que milita.

  9. Questões Relevantes
    12/14/2014

    Incorporo aqui a dica de meu amigo Marcus Vinicius: uma reflexão de Milton Friedman, prestigiado economista prêmio Nobel, que responde a uma pergunta sobre ganância e capitalismo e acaba dando uma aula a respeito de pobreza e liberdade de mercado.
    http://goo.gl/eFMi8B

  10. Osmar Ferreira
    12/14/2014

    Amigos, ao entrar nos comentários tive a sensação que estava adentrando em um hospital de loucos. Enquanto alguém defende que Cuba e Koreia do Norte respeitam os direitos humanos e Slalom salvou milhões de vidas, eu acho que estou precisando de uma camisa de força.

    • Questões Relevantes
      12/14/2014

      Bem vindo ao hospício. Realmente certos argumentos são produção de prova contra si mesmo.

  11. Kuntz LM
    12/14/2014

    O autor do texto já começou errando quando tomou, como premissas, conclusões sociológicas.

    • Serapião Serpa
      12/14/2014

      Quer dizer que conclusões sociológicas não podem ser premissas? Que raciocínio estranho…

      • Kuntz LM
        12/14/2014

        Sociologia não é joguinho de lógica. É interpretação de dados, números, realidades materiais e objetivas. Não um joguinho de solipsismos (é essa a palavra? faz tempo que não mexo com lógica pura).

    • Serapião Serpa
      12/14/2014

      Kuntz LM, se estivermos discutindo lógica matemática, podemos falar em um resultado concreto, como 2 + 2 = 4. Mas em sociologia é mais complicado, principalmente quando se cria uma ficção sobre dados que desafiam as estatísticas e que estão representadas no arquivo pela lógica elementar: se a pobreza fosse a indutora do crime, a maior parte dos pobres seria criminosa. Como não é assim, a tese é falsa.

      • Kuntz LM
        12/14/2014

        “O fato de um idiota como o Bolsonaro defender a redução não me iguala a ele, da mesma forma que as ações do assassino em massa Stalin não a igualam a ele, embora ambos estejam no mesmo lado do espectro político”

        Porque, claro, Bolsonaro sempre defendeu o modo de produção socialista e um governo a favor dos trabalhadores para estar do mesmo espectro político.

    • Serapião Serpa
      12/14/2014

      Kuntz LM, a frase ” da mesma forma que as ações do assassino em massa Stalin não a igualam a ele ” não se refere ao Bolsonaro, mas à socióloga que igualou quem defende a redução da maioridade penal ao Bolsonaro.

      • Kuntz LM
        12/14/2014

        Então é preciso que o autor a reescreva, porque dá margem a outras interpretações. É falho porque está confuso.

        “e que estão representadas no arquivo pela lógica elementar: se a pobreza fosse a indutora do crime, a maior parte dos pobres seria criminosa. Como não é assim, a tese é falsa”

        Mas ninguém disse que a maior parte dos pobres seria criminosa porque a pobreza os influencia a isso. Primeiro porque teríamos que ver a natureza dos crimes, coisa que não foi feita. Segundo que teríamos que ver que crimes ocorrem por conta da pobreza e ver se eles se relacionam com os pobres. Terceiro: você precisa provar com o que afirma. Mesmo que eu não acredite também que a maior parte dos pobres não é criminosa, entende que cê precisa provar uma afirmação dessa co dados?

        Percebe o quanto esse artigo é falho, metodologicamente falando? Toda a argumentação dele?

        Até porque, o que se discutia é que determinados crimes são influenciados pela pobreza e pela desigualdade social, coisa que tem base material. É só dar uma olhada na quantidade de crimes que ocorriam na Grécia antes e depois da crise. De novo: isso não é joguinho de lógica, Serapião.

    • Serapião
      12/14/2014

      Kuntz LM, se isto fosse uma tese acadêmica, você tem razão. Mas em uma debate, como o relatado, o jogo é mais rápido e trabalha-se com dados consolidados, com informações de “domínio público”.
      Mais uma coisa: empirismo. Não sei você, mas eu conheço muitos pobres. Muitos mesmo. A enorme maioria é honesta.

      • Kuntz LM
        12/14/2014

        “Ou seja, o que você chama de direitos humanos é considerado uma conquista da democracia liberal, que inclui a social democracia. Não há tais direitos em governos que avançam na agenda da esquerda.”

        De novo o autor cai no idealismo. Primeiro porque sai tomando um verbete como verdade, sem olhar para a História ou para as condições materiais. Se ele não sabe, verbetes e dicionários possuem, dentro deles, uma ideologia que norteia o significado das palavras de acordo com a do autor – portanto, é um ingênuo. Se ele sabe disso e usa essa argumentação, cai na desonestidade intelectual.

        Além do mais, seria bom ele citar aí pra mim os governos de esquerda que não possuem direitos humanos NOVAMENTE utilizando-se de bases materiais. E quando eu digo bases materiais, isso inclui não pegar notícias de G1 que são mera reproduções de tabloides ou de pseudo-jornalistas que se propõem fazer um trabalho historiográfico, como acontece com o Narloch, que cita como fonte em seus livros de ~~história~~ um LINK de um TEXTO da revista Veja. Eu falo em História mesmo. Em Constituições, fotos comprovadas, etc etc etc…

        Sobre o empirismo, eu conheço muitas laranjas que falam. Muitas mesmo.

        Entende como o seu testemunho aqui, sua experiência empírica, não conta como um fator sociológico? De novo: estatísticas se for pra afirmar algo de ordem sociológica.

        Se for pra afirmar algo de ordem história: fontes minimamente confiáveis, tais como eu citei aqui em cima. Do contrário, não tem nem porque eu perder meu tempo refutando esse artigo. Ele é uma abominação cognitiva (CHAUÍ, Marilena. 2000 e alguma coisa) por si só.

        Chamar de artigo já me dá dor de cabeça. É, no máximo, um textinho sem base nenhuma pra afirmar alguma coisa e que, pior: acha que ~~tá por cima~~ de alguém ou de alguma ideologia.

    • Serapião Serpa
      12/14/2014

      Kuntz LM, em primeiro lugar, o DICIONÁRIO DE POLÍTICA, de Norberto Bobbio, Nicola Matteucci e Gianfranco Pasquino é uma obra de referência, inclusive para a esquerda.

      Quanto aos exemplos de governos de esquerda que não respeitam os direitos humanos, vamos à lista: Cuba, China, Vietnam e Coreia do Norte, para citar os vivos. Na Venezuela a coisa também não vai bem neste quesito.

      Aliás, você conhece algum governo de esquerda (que ocorra fora da democracia representativa) que respeite os direitos humanos? Qual?

      • Kuntz LM
        12/14/2014

        Sabe o que era obra de referência de linguística histórica pouco antes de Saussure, querido? A Bíblia.

        De novo afirmando coisas que não tá conseguindo provar? Puta que pariu, cê é muito burro mesmo.

        Só pra não dizer que eu não contrapus o seu [pseudo-]argumento, toma aqui a Constituição da Coreia do Norte.

        Article 64
        The State shall effectively guarantee genuine democratic rights and liberties as well as the material and cultural well-being of its citizens.
        In the DPRK the rights and freedom of citizens shall be amplified with the consolidation and development of the social system.

        http://migre.me/nv7Fd

        Em Cuba? Aquele país com educação, saúde e transporte elogiados até pelo Banco Mundial, mesmo sendo um dos mais embargados do mundo? Aquele país que ~~não tem liberdade de expressão~~, mas que a Yoani tá vivinha até hoje?

        Na boa, Serapião…. me erra, vai.

        http://goo.gl/vTWDbb

        http://goo.gl/XMiswv

        Abraço.

    • Serapião Serpa
      12/14/2014

      Kuntz LM, parei. Alguém que cita a Coreia do Norte como exemplo de respeito aos direitos humanos só pode ser humorista ou tarado.

      Mas ainda deixo uma pequena contribuição para eventuais leitores de nosso bate papo: o professor emérito da USP, Ruy Fausto afirma em artigo recente que “o “comunismo” foi no passado, e continua se definindo como, um totalitarismo.”

      Afirma também ” não restam muitos governos totalitários no mundo. A rigor, um só: a Coréia do Norte”.

      Vale à pena ler:
      http://goo.gl/dL2u6X

      • Kuntz LM
        12/14/2014

        Porra, de novo artigo desse site? Meu deus do céu, não vou nem ler. E como eu disse: um cara que é professor da USP não significa nada pro argumento dele. Conheci professores de linguística dentro da USP que nunca tinham lido Bakhtin.

        Acontece, né?

        Pra não dizer que abandonei o debate, fica aí um contraponto ao ~~totalitarismo malvadão dos comunistas~~, o novo livro “Alguém disse totalitarismo?” de Slavoj Žižek.

        http://goo.gl/OsbD4m

        Já dizia a amiga Luciana Genro: vai estudar.

      • lucemiro1405
        12/16/2014

        Pq só um, então Cuba, Vietnã, China e Laos são democráticos? É só pq o comunismo da Coreia não renega Stálin???

    • Serapião Serpa
      12/14/2014

      Kuntz LM, agora que você cita Zizek e Luciana Genro como aliados da democracia, percebi que não é ou humorista ou tarado, é certamente um humorista tarado.

      • Questões Relevantes
        12/14/2014

        Realmente: citar como democrático um país que tem cercas e guardas armamos para impedir que a população fuja para a vizinha Coreia do Sul, outro como Cuba, em que a população é vigiada para não fugir para os EUA e dar como exemplo de defensores da democracia Luciana Genro e Slavoj Žižek é efetivamente caso de indigência intelectual e devoto fanatismo a “São Marx da Mais Valia”. Faltou incluir o Vladimir Safatle na lista dos democráticos. Seria a cereja do bolo.

      • lucemiro1405
        12/16/2014

        Luciana Genro, quando disse isso ao Danilo, apenas fugiu da discussão, oportunista e trotsquista como ela é, pois explora tb, diante da esquerda, essa lenga lenga de milhões de mortos. Ele me perguntou isso via twitter e mandei para ele uma vasta bibliografia em inglês revendo esse papo da guerra fria: livros de Arch Getty, Grover Furr, Mark Tauger..E o pior ainda foi ter que ver que Luciana mentiu: foi a Cuba e fez o punho ao lado de imagem de Guevara, fez discurso na Venezuela…

  12. lucemiro1405
    12/13/2014

    Stalin era de esquerda, sim. Discípulo de Lênin, teórico e militante da melhor qualidade, salvou milhões de vidas ao derrotar Hitler e o imperialismo japonês e italiano. A esquerda é cara de pau em não querer assumi-lo.

    • Questões Relevantes
      12/13/2014

      Salvou milhões de vida, é verdade, mas não por altruísmo e sim para defender o seu projeto de poder ( e a um custo humano altíssimo para a população russa). Eram dois egos que pretendiam dominar o mundo.

      Acredito que você vá se divertir com o artigo A ESQUERDA E OS CAMINHOS QUE SE BIFURCAM.
      http://goo.gl/bQL5kY

      • rafael
        12/15/2014

        Como assim? A direita n quer dominar o mundo não? o que eh que os eua fez/faz? Ou vai dizer que o governo norteamericano eh de esquerda ditatorial?
        ora, que há mal nisso? A historia da humanidade eh desenvolvida sob essa pretensão

      • Questões Relevantes
        12/15/2014

        Toda grande potência tenta “dominar o mundo” de alguma forma. Mas os métodos são bem diferentes entre ditaduras e democracias.

      • lucemiro1405
        12/16/2014

        Não psicologize a ideologia. Não foi questão de “ego” e sim de ideias, uma luta entre capitalismo e socialismo. E o socialismo soviético venceu não só Hitler, mas a Europa toda ocupada por ele por trás dele. É disso que, na verdade, quem ataca Stálin tem medo. Não foi um projeto de poder pessoal. O próprio presidente Truman afirmou que “Stálin é um prisioneiro do politburo”. Ele tinha menos poder que o presidente americano. Não é briga entre Britney Sperms e Chuparis Hilton.

      • Questões Relevantes
        12/17/2014

        Já ouviu falar em metonímia, em a parte representar o todo? Foi isto: ou invés de falar em nazismo contra socialismo, falou-se em Hitler contra Stalin. Aposto que 99% das pessoas entendeu.

  13. Mario Silvio
    12/13/2014

    “Não existe natureza criminosa. Isto é psicopatia e exceção. A regra é a miséria e profunda desigualdade social que geram violência, o que é um truísmo sociológico. Criminalizar a vítima é que é hediondo” Isso é uma besteira enorme, um absurdo total, mas SE fosse assim, de duas uma, ou não se pune NENHUM criminoso ou se pune todos da mesma maneira, maiores e menores de idade.

    • Questões Relevantes
      12/13/2014

      É exatamente o que o debatedor Paulo afirma no artigo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: